Afinal, vale mais a pena ter franquia ou negócio próprio?

A busca por um bom investimento deve ser sempre precedida de uma boa pesquisa de mercado, levantamento e estudo de todas as possibilidades.

É neste momento que muito gestor acaba se deparando com uma pergunta extremamente comum e importante: devo investir em uma franquia ou negócio próprio?

Para você que anda pensando sobre este assunto, separamos alguns pontos prós e contras de cada uma das opções e que são importantes conhecer para que se possa decidir estrategicamente qual a melhor alternativa. Confira:

Franquia

Modelo de negócio que já vem bem formatado por uma marca franqueadora. Já contar com certa representatividade no mercado e também um grau de sucesso relevante.

Vantagens

Uma das maiores vantagens de uma franquia é que ela já está bem consolidada no mercado — ou seja, possibilidade de apostar em uma marca forte e que não precisa correr tantos riscos. Além disso, ela já desenvolveu melhor a experiência do cliente, o que facilita as vendas.

Para o empreendedor, todos os caminhos já foram traçados. Existem regras, manuais de instrução para tudo e todo o know-how está disponível. Os riscos já foram mapeados e variados aspectos acabam ficando mais sob controle.

Além disso, há um bom suporte dos franqueadores explicando o que deve ser feito para tocar o negócio.

Desvantagens

Para entender melhor se o ideal para você é apostar em uma franquia ou negócio próprio, é importante, também, levar em consideração as desvantagens. A franquia é um modelo mais engessado e não dá muitas oportunidades do gestor inovar ou buscar trabalhar itens fora do escopo padronizado da marca.

Há também uma lista de alguns custos extras, como verbas obrigatórias de marketing, taxas, royalties e coisas do tipo que podem corroer a lucratividade.

Basicamente, tudo funciona como uma esteira de trabalho, em que não se acaba podendo ter grandes ganhos e nem experimentar novas opções.

Negócio próprio

É qualquer tipo de alternativa de empreendimento que basicamente visa o lucro, sem nenhuma limitação ou orientação. Neste caso, a palavra de ordem é explorar o mercado e aprender com os próprios erros.

Vantagens

Com uma marca própria o empreendedor tem a liberdade para fazer o que achar mais adequado. Desenvolver a criatividade, testar o mercado e poder explorar qualquer área da cidade também fazem parte deste pacote.

Com um custo inicial geralmente menor, é possível também começar aos poucos e ir analisando o que dá resultado e o que não dá.

Outro ponto que deve ser destaco é que a rentabilidade pode ser bem maior do que as franquias, porque o empreendedor independente não tem nenhum tipo de amarra, compromisso ou limitação contratual.

Desvantagens

O outro lado da liberdade de uma empresa independente é que há todo um mercado ainda por ser conquistado. Isso implica em mais gastos com publicidade e marketing, já que ninguém conhece a marca, e também um tempo maior para atingir a maturidade do negócio.

Alguns riscos que não estavam mapeados poderão aparecer de surpresa e atrapalhar os planos anteriores. Também há que se cuidar com a concorrência, já estabelecida e com um potencial maior.

Por último, é importante frisar que não há ninguém para se apoiar nas horas difíceis e sem um guia para resolver os problemas que vão aparecendo, como ter que fazer a correta precificação dos produtos.

Afinal, qual a melhor opção? Franquia ou negócio próprio

Como é possível imaginar, não existe uma opção certa ou errada. Tudo vai depender das suas condições e, principalmente, do perfil de trabalho.

Se a sua veia do empreendedorismo e da criatividade fala mais alto, a tendência é pelo desenvolvimento do próprio negócio. Já se a busca é por um modelo mais estruturado e previsível de empreitada, o caminho está mais voltado para a franquia.

Provavelmente, neste ponto, você já deve ter refletido melhor se vai escolher uma franquia ou negócio próprio para investir, não é mesmo?

Se você gostou deste conteúdo e quer continuar aprimorando seus conhecimentos a respeito da gestão de negócios e ter acesso a boas dicas que andam circulando no mercado, assine a nossa newsletter e mantenha-se sempre informado!

Recarga de celular como premiação de incentivo nas empresas

epay Brasil e Valoriza Soluções fecham parceria para esse formato de prêmio

Motivar equipes por meio de premiações em dinheiro e diversos tipos de bônus é uma prática comum nas empresas brasileiras. A partir de março de 2017, a empresa especializada nesses tipos de soluções, a Valoriza Soluções Empresariais, fechou parceria com a epay Brasil, líder global em recargas de celular e viabilização de cartões pré-pagos para oferecer recarga de celular como formato de premiação.

A recarga pode ser realizada por meio do app GiftNow, ou seja, tudo de maneira fácil e prática para o ganhador do prêmio. “A tecnologia em recarga de celular oferecida pela epay Brasil permite a oferta de recarga pelos mais variados meios”, explica Rogério Lima, diretor de marketing da epay Brasil. “Nossa tecnologia de recarga já está presente em supermercados, lojas e equipamentos eletrônicos independentes como o Cata-Moeda. Agora, com a Valoriza Soluções, viabilizamos a recarga como prêmio de incentivo para as empresas atendidas pela Valoriza”, explica.

O Brasil vive uma nova realidade pós-crise econômica, segundo a Teleco, 7 em cada 10 linhas de celular no país são pré-pagas. Dessa maneira, a recarga de celulares pré-pagos continua tendo demanda no país, tornando a premiação corporativa um atrativo para as empresas que trabalham campanhas de incentivo.

Sobre a epay Brasil

A epay é líder mundial em soluções pré-pagas. Empresa do grupo EuronetWorldwide, com ações na Nasdaq, está presente em mais de 30 países. Especialista em produtos tais como: cartões presente, cartões para jogos online, assinaturas e créditos para conteúdos digitais, a epay Brasil tem como objetivo conectar marcas a consumidores por meio da tecnologia pré-paga, sem a necessidade de bancos e bandeiras de cartões de crédito. Google Play é uma das marcas que chega ao consumidor final por meio das soluções disponibilizadas pela empresa. www.epaybrasil.com.br.

Sobre a Valoriza Soluções

Com expertise de mais de 12 anos no mercado de incentivo, a Valoriza Soluções é uma agencia de incentivo 360°, com objetivo de oferecer ao mercado, o maior numero de soluções para sua campanha de incentivo, premiação de funcionários, campanhas de vendas, incentivo de vendas, em um só lugar! Além de Trabalhar com a mais completa linha de cartões pré-pagos Mastercard e VISA, Programa de Pontos, Gifts Cards e é claro as recargas de celulares que é unanimidades entre os premiados. www.valorizasolucoes.com.br .

Vale presente como incentivo: uma oportunidade de parceria

Todo fim de ano costuma acontecer a mesma coisa: grande parte dos colaboradores de inúmeras empresas fica de olho na participação nos lucros e resultados, sem falar no pagamento do 13º salário.

No entanto, além desses benefícios, muitas corporações estão encontrando no vale presente de incentivo uma excelente oportunidade para motivar os funcionários — e eles não precisam ser utilizados apenas neste período do ano.

Os ganhos atingem todos os setores da empresa, pois o reflexo na melhoria da produtividade é bem visível após o incremento de um benefício como esse.

Para ajudá-lo a entender melhor como funciona esse tipo de parceria, as utilizações e o fechamento de contratos, vamos esmiuçar muito bem o assunto neste post. Interessado? Então, continue lendo!

O que é o vale presente de incentivo?

Trata-se de um cartão pré-pago em que as empresas podem depositar valores mensais e referentes às compras em lojas de eletrodomésticos, eletroeletrônicos, grandes varejistas, enfim, as possibilidades são muitas.

Podem ser oferecidos nas festas de fim de ano, sorteados ou até mesmo direcionados para quem bateu as metas preestabelecidas.

Também é uma ótima oportunidade para redes de hipermercados ou de outros ramos de atuação firmarem parcerias com as empresas, podendo, inclusive, destinar descontos por meio do número de adesões.

Dessa maneira, a sua organização poderia inserir, por exemplo, créditos de R$ 1.000 em sorteios para compras no fim de ano em uma rede varejista, colaborando imensamente para que as festas dos colaboradores premiados sejam inesquecíveis.

Valores menores podem ser inseridos na distribuição geral, como vale-compras no valor de R$ 50 ou R$ 100. Entretanto, busque ser o mais justo possível na distribuição dos créditos.

A opção também contribui para movimentar a economia, pois muita gente pode gastar mais do que o valor disponibilizado no vale presente de incentivo, pagando a diferença.

No entanto, é preciso uma boa negociação entre o setor de Recursos Humanos com outras empresas na hora de fechar o negócio, como veremos a seguir.

Como o cartão pode motivar o colaborador?

Primeiramente, o vale presente de incentivo pode ser personalizado, com temas e estampas relacionadas à campanha, como Natal, aniversário da empresa, enfim, de acordo com o momento especial.

Isso estreita o relacionamento entre os profissionais e a corporação, aumentando o bem-estar e também a motivação ao longo das tarefas diárias.

Ao destinar esse benefício ao trabalhador, é importante o setor de RH passar todas as informações, como a rede de aceitação, o valor dos créditos, direitos e deveres de cada funcionário, com o objetivo de manter a transparência em todo o processo. Fora isso, é importante uma negociação afiada com as empresas parceiras para evitar transtornos.

Quais os benefícios para o colaborador?

Neste tópico, vamos relacionar alguns benefícios que o vale presente de incentivo proporciona para a equipe. Os mais evidentes são de ordem financeira, o que na verdade nunca é um benefício em si, afinal, o dinheiro é apenas um meio de conseguir algo que represente um valor significativo, o que constitui o primeiro item de nossa lista.

Liberdade de escolha

Temos diferentes avaliações sobre o que é importante e tem valor real. Para alguns, pode ser uma viagem, para outros, é passar mais tempo com os filhos, e assim por diante.

A maioria das alternativas de benefício concedidas pelas empresas é condicionada, ou seja, não pode ser escolhida de acordo com a preferência do colaborador. Por mais que muitas delas possam ter sido negociadas e algumas sejam realmente atrativas, com o vale presente é diferente.

Em outras palavras, quando o próprio beneficiário escolhe o que mais o agrada, o preço que foi pago é inferior ao que ele recebe, pois valoriza aquele bem. Já quando não tem essa opção, o ganho pode ser insignificante, mesmo que o preço tenha sido alto.

Segurança

Como a transação não envolve dinheiro, existe uma segurança a mais para o usuário. Devido ao aumento dos índices de violência, muitos colaboradores tendem a valorizar essa possibilidade.

Importante mencionar que, embora o benefício direto seja para o trabalhador, a empresa também deve se preocupar com esse fator, principalmente nos casos em que tem responsabilidade legal sobre isso.

Melhoria da produtividade

Esse pode parecer um benefício direto e exclusivo para a empresa, mas é extremamente importante para o colaborador, ainda que não seja claro para a maioria de nós.

A produtividade é a maior garantia de estabilidade no setor privado. O colaborador que produz mais tem mais valor para a empresa e gera mais recursos para o seu caixa, que são essenciais para garantir a saúde financeira da organização e, consequentemente, os benefícios concedidos.

Melhoria do bem-estar e da qualidade de vida

Esses são dois benefícios especiais para a maioria das pessoas nos dias de hoje. Muitos mudam de cidade e de emprego em função deles.

Em alguma medida todos os benefícios contribuem para ambos, uma vez que permitem usufruir mais conforto, saúde ou outro ganho que o prêmio ofereça.

Mas no caso dos vale presente alguns dos benefícios acima ajudam a contribuir ainda mais, principalmente o da liberdade de escolha, pois ninguém pode decidir melhor pelas próprias necessidades do que a própria pessoa.

Da mesma forma, o aumento da segurança e a melhora da produtividade também contribuem para o bem-estar de qualquer ser humano.

Ganho social

Muitos brasileiros ainda não têm acesso a uma conta bancária. Os motivos para isso normalmente estão relacionados ao crédito, em função do patamar de renda ou dívidas. Além disso, muitos brasileiro estão fazendo a opção por não utilizar os bancos, ao menos os tradicionais, esse fenômeno é chamado de desbancarização.

Quais dicas o RH deve seguir na parceria?

Uma boa orientação é buscar empresas idôneas, com vários anos no mercado e que tenham unidades próximas das residências dos funcionários ou qualidade garantida nas compras online.

Analise bem o contrato, busque descontos e, principalmente, peça uma visita pessoal para os consultores da empresa de cartões para esclarecerem todas as dúvidas dos colaboradores.

Investigue na internet a rede que sua empresa pretende fechar negócio para observar se há alguma denúncia de irregularidades ou problemas com o serviço prestado — busque informações em fontes seguras.

Se possível, entre em contato com o Banco Central, responsável pela regulação, supervisão e autorização das empresas de cartões de presente para saber se está tudo dentro da legislação.

Veja ainda se há um serviço de atendimento ao consumidor para auxiliar os funcionários, caso ocorram possíveis queixas. No mais, é presentear os trabalhadores, contribuindo para melhorar as avaliações internas em relação à empresa.

Agora que você ficou por dentro do vale presente de incentivo, que tal assinar a nossa newsletter? Receba boas informações em seu e-mail e fique atualizado!

epay Brasil lança cartão marca própria da Ri Happy

A epay Brasil e a Ri Happy (líder no varejo de brinquedos do Brasil) fecharam uma parceria comercial para a produção, distribuição e processamento de cartões presente em todas as lojas da rede. O cartão presente da Ri Happy, carinhosamente conhecido como “Happy Vale”, já está disponível para venda nas lojas físicas juntamente com outros cartões pré-pagos de conteúdos diversos distribuídos pela epay no Brasil.

A epay Brasil, empresa do grupo Euronet, presente em mais de 30 países e líder na tecnologia de cartões pré-pagos, fechou mais um contrato que amplia a área de atuação da empresa, desta vez chegando ao mercado de brinquedos. Através desta parceria, a epay viabilizou a produção, distribuição e processamento dos cartões presente da rede de lojas Ri Happy.

O cartão presente leva o nome “Happy Vale” e está disponível para os clientes nos valores de R$50,00 e R$100,00, podendo ser utilizado como meio de pagamento na rede varejista de brinquedos (exceto site e franquias). Uma ótima oportunidade para clientes presentearem a criança sem chance de errar: os pequenos poderão ir à loja, juntamente com o responsável portando o cartão presente, e escolher o brinquedo que desejam.

Para a epay é uma ótima oportunidade de aumentar a sua capilaridade num canal tão importante como o de “Brinquedos”. Os cartões pré-pagos estão cada vez mais disseminados em vários tipos de varejo. Atualmente redes de Supermercados, Lojas de eletrodomésticos, Livrarias, Drogarias e Moda, entre outros setores, já aderiram à solução trazida pela epay.

Conteúdo de terceiros

Com a Ri Happy, o contrato vai além dos cartões pré-pagos “Happy Vale”. A epay vai disponibilizar também outros cartões pré-pagos de conteúdos diferentes como Google Play,  Xbox Live, League of Legends, LevelUp, entre outros. Por se tratar de um serviço adicional ao cliente com alto valor agregado, os cartões pré-pagos trarão maior fluxo de clientes e rentabilidade à Ri Happy.


Sobre a epay

A epay é líder mundial em soluções pré-pagas. Empresa do grupo Euronet Worldwide, com ações na Nasdaq, está presente em mais de 30 países.

Especialista em produtos tais como: cartões presente, cartões para jogos online, assinaturas e créditos para conteúdos digitais, a epay Brasil tem como objetivo conectar marcas a consumidores por meio da tecnologia pré-paga, sem a necessidade de bancos e bandeiras de cartões de crédito. Google Play, League of Legends e Xbox Live são algumas das marcas que chegam ao consumidor final por meio das soluções pré-pagas disponibilizadas pela empresa. www.epaybrasil.com.br

Sobre o grupo Ri Happy

A Ri Happy, maior rede varejista de brinquedos do país, presente no mercado desde 1988, tem como preocupação ser mais do que uma rede de comércio e sim uma prestadora de serviços na área de lazer e entretenimento infantil. Em 2012, The Carlyle Group, gestor global de investimentos alternativos, adquiriu a Ri Happy Brinquedos e a PBKIDS e desde 2014 detém 100% de participação. O grupo Ri Happy / PBKIDS, líder no mercado de brinquedos, possui mais de 250 unidades espalhadas pelo Brasil empregando mais de 4.000 funcionários . Em  2013,  o grupo iniciou as atividades da marca Ri Happy Baby,unidade especializada da rede Ri Happy com produtos voltados para o público entre zero a três anos de idade, buscando ser a maior loja especializada em itens para bebês do Brasil . Os sites da empresa são: www.rihappy.com.br , www.pbkids.com.br e www.rihappybaby.com.br

 

5 dicas para aumentar a rentabilidade da sua empresa

Conseguir melhores resultados de vendas é uma meta praticamente diária para qualquer empresa de varejo. Todo vendedor, gestor e o próprio dono se esforçam para aumentar a rentabilidade da loja a cada período, expandindo o negócio.

Claro que não é uma tarefa tão fácil. Sempre parece que a sua base de clientes atinge um ponto de saturação, quando não é mais possível melhorar o ticket médio da empresa.

Porém, isso costuma acontecer apenas porque a gestão ainda não se adaptou ao seu crescimento. Quando a empresa passa de uma loja menor a uma rede, por exemplo, é necessário pensar em jeitos mais eficientes de atrair o público e melhorar as vendas.

Para ajudar a aumentar a rentabilidade do seu estabelecimento, trouxemos aqui 5 dicas simples para o seu negócio. Confira:

1- Acompanhe o fluxo de caixa

Entenda por “fluxo de caixa” todo o caminho que o dinheiro faz, desde que entra na empresa até seu destino. Número de vendas, quanto foi adquirido em cada negociação, qual porcentagem cobre os custos, o que é reinvestido, quanto foi o lucro, etc.  

Isso tudo e a previsão do valor disponível na conta nos próximos períodos deve constar no fluxo de caixa. Sem um acompanhamento detalhado, não é possível saber se o orçamento está subindo ou caminhando para o negativo.

2- Ofereça ofertas e programas de fidelidade

Uma forma que muitas empresas têm de aumentar a rentabilidade é facilitar o processo de compra. E a melhor forma de fazer isso é reduzir o custo final para o cliente. É nisso que consistem tanto as ofertas temporárias quanto os programas de fidelidade.

A diferença é que, em uma promoção, o cliente tem o benefício imediatamente, atraindo novos clientes. Em um programa de fidelidade, ele recebe algo melhor após algum tempo colaborando com a sua empresa, aumentando as chances de fidelização. Os dois são bons meios para melhorar a sua lucratividade, desde que sejam bem implementados.

3- Reduza custos desnecessários

Se você não puder vender mais para aumentar a rentabilidade da sua loja, tente ganhar pelo outro lado: gaste menos. Ao diminuir o custo de manutenção do estabelecimento ou da aquisição do estoque, a margem de lucro consequentemente também aumenta.

Além disso, essa mesma atitude pode servir para baratear o produto para o consumidor final. Isso pode ser exatamente o que você precisa para colocar sua mercadoria a um preço mais competitivo no mercado.

4- Use um software de gestão

Um desafio para aumentar a rentabilidade de qualquer empresa é a quantidade de informação necessária. Recibos, impostos, pagamentos: tudo é muito mais do que uma única pessoa pode coordenar com qualidade.  

Por isso, é importante ter um sistema de gestão que auxilie na captação e organização desses dados. Além de facilitar o trabalho de administração, ele também melhora a disponibilização dessas informações para todos os gestores, dando mais autonomia às equipes.

5- Capacite seus funcionários

Por fim, uma equipe de vendas e de gestão bem preparada é a melhor forma de melhorar a renda de uma loja. Os atendentes são a linha de frente na hora de lidar com os clientes, enquanto os gestores são os responsáveis por melhor administrar o tempo e os recursos disponíveis.  

Capacitá-los para que tenham mais autonomia e desempenho é fundamental para melhorar o rendimento e trazer sucesso para todos os envolvidos, fornecendo mais valor aos clientes.

Gostou de nossas dicas para aumentar a rentabilidade das suas lojas? Quer continuar recebendo nossas novidades em primeira mão? Então, curta nossa página no Facebook e fique sempre por dentro de dicas e novidades!

4 passos para expandir seus negócios com sucesso

“Expandir o negócio”. Certamente, esse é um item que deve estar presente na maioria dos checklists dos empreendedores nacionais. Superada a fase inicial, onde é necessário recuperar o investimento inicial e manter uma margem de lucratividade relativamente estável, a maioria dos gestores planeja alçar novos voos para o empreendimento.

Poucos, no entanto, sabem exatamente qual deve ser o caminho a ser percorrido para garantir uma expansão segura e consistente.

Por isso, no post de hoje, resolvemos trazer os 4 passos que podem ser dados para expandir negócios com sucesso. Confira cada uma das possibilidades logo a seguir!

1. Aposte no modelo de franquias

O modelo do franchising é bastante utilizado por muitas empresas. Para funcionar, no entanto, é preciso que a empresa já tenha uma marca consolidada no mercado — isso significa que o público-alvo tem que conhecê-la profundamente.

Mais importante que isso: para abrir franquias, tenha a certeza de que os processos internos do negócio já estejam bem alinhados.

Antes de apostar no modelo de franquias, leve em consideração que a marca deve representar um padrão de qualidade. É justamente por isso que a empresa precisa ter processos claros, que possam facilmente ser replicados pelos franqueados.

2. Diversifique os canais de vendas

As franquias podem ser uma boa ideia, mas não existe uma fórmula quando o assunto é expandir negócios. Nossa próxima dica, portanto, é bem diferente da anterior. Outra forma para trabalhar a expansão é diversificar os canais de vendas.

Além das lojas físicas, por exemplo, contar com um site ou um atendimento via redes sociais pode ser um excelente negócio para estimular o aumento da procura.

Claro, se você apostar nesse modelo, é importante ter em mente que é imprescindível a empresa ter a estrutura necessária para realizar um atendimento de qualidade.

Além de contar com bons atendentes, garanta que a logística de entregas da empresa seja impecável e, se possível, busque explorar novas formas de pagamento.

3. Abra outras unidades

A abertura de novas unidades é, sem dúvidas, um modelo que requer bastante investimento por parte do gestor.

Essa é uma opção para expansão que ocorre quando o gestor percebe que existe uma oportunidade em outra cidade ou estado. Você terá que contratar uma equipe completamente nova, realizar treinamentos, além de apostar pesado no marketing de inauguração.

Sim, apesar de a sua empresa já estar estabelecida, a abertura de novas unidades pode ser como abrir uma nova empresa, principalmente se a sua marca ainda não é reconhecida na nova região.

Por isso, analise esta possibilidade com cautela e avalie, por exemplo, se nesta nova região os clientes terão o mesmo perfil que os seus atuais.

4. Aumente o mix de produtos ou serviços

Por fim, outra dica para expandir negócios é aumentar o mix de produtos e serviços. Para isso, o empresário precisa avaliar internamente quais são os itens mais vendidos para, então, tomar a decisão de desenvolver ou adquirir novos produtos, que podem ser complementares, por exemplo.

Essa é uma forma de aumentar o ticket médio e, consequentemente, expandir a sua empresa no futuro. Para isso, é claro, você deve investir em um trabalho de pesquisa de mercado, para conferir quais são as novidades e o que a sua empresa pode oferecer de novo.

Gostou das nossas dicas de hoje? Então, assine a nossa newsletter e fique por dentro de muito mais novidades!

Saiba como entender o comportamento do consumidor em 5 passos

Os lojistas investem boa parte de sua receita para divulgar a empresa e fidelizar os clientes por meio de estratégias de marketing. Para que esse investimento traga os resultados esperados, o primeiro passo é entender como funciona o comportamento do consumidor.

Ter a compreensão dos hábitos de compra, condição econômica, relações sociais e até mesmo preferências pessoais são fatores que podem ajudar o lojista a montar uma estratégia de venda mais eficaz e personalizada, além de conseguir direcionar melhor todo o planejamento de marketing.

Neste artigo, você vai conferir 5 passos que vão te ajudar nesse processo. Confira:

Realize pesquisas de mercado

Existem diversas maneiras de realizar uma pesquisa de mercado, por exemplo: disponibilizando formulários no site, pedindo a opinião dos clientes diretamente na loja, enviando o questionário por e-mail, entre outras.

Também é importante ficar atento às pesquisas divulgadas por grandes instituições, como o IBGE, o IBOPE ou publicações especializadas, como a revista Consumidor Moderno.

Analise a posição socioeconômica

A sociedade se divide em classes sociais e cada uma delas possui interesses e necessidades diferentes. É importante entender qual é o valor que as pessoas enxergam no seu produto e qual a verba que elas estão dispostas a investir para adquiri-lo. Quanto mais acesso à informação, mais aumenta o nível de exigência do consumidor.

Pesquise as preferências sociais

Grupos de referência, família e status são os fatores sociais que podem influenciar no momento de realizar uma compra. A família, por ser o primeiro laço do indivíduo, tem mais impacto nesse sentido.

Os grupos são pessoas que influenciam os sentimentos, ações e até mesmo hábitos de consumo. Já o status representa a posição social adquirida ao longo da vida e a escolha de produtos que reafirmam essa condição na sociedade.

É importante ficar atento a esses três fatores para criar um relacionamento com o consumidor que respeite seus objetivos e valores dentro do âmbito social.

Entenda os fatores pessoais

Esse é um dos aspectos do comportamento do consumidor mais complicados de se identificar, pois envolve vários fatores como a idade, ocupação, estilo de vida e a personalidade. Além disso, essas características podem mudar ao longo do tempo.

Por exemplo: uma pessoa que sempre consumiu várias marcas de roupas ou maquiagem pode tornar-se ativista dos direitos dos animais e deixar de utilizar esse tipo de produtos.

As empresas devem ficar atentas às mudanças de comportamento dos consumidores e identificar as ações necessárias nesses casos, além de observar suas preferências e oferecer aquilo que buscam em um produto.

Dê atenção à faixa etária

Os hábitos de consumo variam muito de acordo com idade. Com o acesso à internet praticamente 24 horas por dia, por meio dos smartphones, adolescentes e até mesmo crianças estão se tornando consumidores cada vez mais cedo.

Já falamos aqui no blog sobre como vender para a geração Z, e cada faixa etária possui uma relação diferente com as marcas, o que exige uma visão atenta sobre seus hábitos de consumo.

Entender o comportamento do consumidor é um processo que demanda tempo, pesquisa e muita dedicação, mas quando os resultados começarem a aparecer, você vai ver que todo o esforço valeu a pena.

Gostou do artigo? Então, confira em nosso blog mais dicas para fidelizar o cliente: 5 dicas para encantar clientes no ambiente online!

Treinamento de equipe: como fazer seu vendedor conquistar clientes?

O departamento de vendas é um dos setores mais importantes dentro de uma empresa. Por isso, o treinamento de equipe é um dos investimentos é realmente necessário para um negócio. Sem vendas, a empresa não se sustenta. E como o mercado está ficando cada vez mais disputado, não basta apenas que o vendedor seja bom de papo e carismático para atrair mais clientes.

Montar e estruturar um time de vendas é uma tarefa complexa e que demanda tempo. Ou seja, é essencial investir em treinamento de equipe logo cedo, para moldar o seu time de acordo com as estratégias e a cultura da empresa.

E para auxiliá-lo nessa jornada, separamos 4 dicas essenciais para montar um treinamento que gere mais resultados. Confira:

1. Avalie o time

Analisar os vendedores e oferecer um feedback de acordo com a sua avaliação é muito importante durante o treinamento. O objetivo da avaliação é identificar pontos fortes e fracos em cada membro e, a partir do feedback, fornecer as orientações necessárias para que eles possam evoluir e trazer mais resultados.

Alguns colaboradores podem ser comunicativos, mas não têm a confiança necessária para conquistar mais clientes. Uma avaliação precoce dessa situação é capaz de capacitá-los mais rapidamente, fazendo com que esses colabores agreguem mais valor ao negócio.

2. Ofereça um atendimento personalizado e humanizado

Cada pessoa é diferente, com problemas singulares e comportamentos distintos. Por conta disso, o vendedor terá que saber identificar algumas características do cliente para oferecer o atendimento mais personalizado possível.

Ninguém gosta de ser tratado “de forma” padrão ou com indiferença. As pessoas, quando estão procurando por uma solução específica, gostam de receber atenção e ter a certeza de que o vendedor está entendendo suas solicitações.

Portanto, é preciso que o profissional de vendas se coloque no lugar do cliente, e ofereça um atendimento de acordo com suas necessidades — sempre com gentileza e paciência.

3. Foque na postura e na expressão corporal

O corpo, muitas vezes, diz mais do que as próprias palavras — e os clientes percebem essa comunicação com facilidade. Se o vendedor estiver andando de cara fechada ou apresentar qualquer sinal de impaciência, o cliente reconhecerá esses sinais. E as chances dele não fechar negócio com sua empresa aumentarão!

Dessa forma, os vendedores devem mostrar uma postura padrão — nada de braços cruzados e demonstração de emoções negativas.

4. Ofereça treinamento sobre os produtos e serviços oferecidos

Os vendedores têm que saber, detalhadamente, todos os produtos comercializados por sua empresa. Os clientes podem ter dúvidas e querem respostas para essas questões — nada pior do que pedir uma informação para o vendedor sobre o produto desejado ele não souber responder.

Quando o vendedor conhece plenamente os produtos/serviços, consegue fazer indicações mais precisas no momento do atendimento. Somado a um atendimento personalizado, será possível fazer indicações de acordo com as necessidades daquele cliente. Melhorando a sua experiência de compra e, quem sabe, aumentando o seu ticket médio. O que certamente trará mais resultados para empresa.

Como você pôde ver, investir em treinamento de equipe o quanto antes é essencial para construir um time de vendas que gere resultados e atraia clientes. Com a estratégia e o treinamento certo, é possível praticamente dobrar os resultados de uma empresa dependendo da área de atuação.

Gostou desse artigo e quer mais dicas? Confira: 6 ações simples para aumentar o ticket médio de sua loja!