As infinitas possibilidades do cartão pré-pago

De entretenimento a transporte, hoje o consumidor tem à disposição grande variedade de serviços, sem depender de monopólios. A TV aberta deu lugar à assinatura a cabo, que por sua vez já enfrenta a concorrência de serviços de streaming de filmes e séries pela internet. Enquanto os táxis e ônibus dividem os passageiros com aplicativos de transporte de carros privados. Na música, artistas e gravadoras se renderam também ao serviço de streaming, em uma inteligente – e recente – reviravolta da indústria fonográfica. E o que falar dos games, que além dos consoles, dominaram os computadores e os smartphones.

Cartão Pré-Pago

Mas o que tudo isso tem a ver com cartão pré-pago? Tudo! O consumo desses diferentes formatos de conteúdo e serviço se dá por pagamentos de assinaturas eletrônicas ou cartões de crédito cadastrados dentro de aplicativos (in-app) e de websites.

Mas nem todo mundo pode usar cartão de crédito, por questão de confiança ou por não poder comprometer o limite.

Da mesma forma, nem todo mundo tem paciência de emitir boleto e fazer um pagamento por essa modalidade, pela falta de acesso ao internet banking ou por preguiça mesmo.

Praticidade

Nesse cenário em que a praticidade fala mais alto, o cartão pré-pago é a melhor solução para acesso a todas essas modalidades de serviços.

Vendidos em caixas de diversas lojas e supermercados, os cartões ficam à disposição dos consumidores interessados. Basta passar junto com a compra que o valor do cartão será ativado.

Depois, é só raspar e digitar o código na área de “pagamentos” do serviço escolhido. Seja um Netflix, Uber, Xbox, Riot, League Of Legends… Simples assim.

Não há novo serviço ou conteúdo que possa surgir, que o pré-pago não poderá se adaptar e se tornar opção para o consumo. Quantos pais por exemplo, não preferem controlar melhor os gastos dos filhos com games e afins? Com cartão pré-pago isso fica evidente. Do ponto de vista do usuário é mais controle e mais poder – afinal, em muitos casos de cartões, é ele quem decide o valor que irá colocar.

Ou seja, se você é serviço ou conteúdo, pense na possibilidade do pagamento pré-pago para seus clientes! Se você é lojista, ofereça os plásticos no caixa para eles e agregue mais uma vertical em seu negócio, que só trará ganhos.

Aprenda a identificar gargalos de produção no varejo para aumentar as vendas!

O termo “gargalos de produção” começou a ser utilizado a partir dos anos 80 do século 20, no contexto da cadeia industrial — o objetivo era definir situações em que um problema, ou mesmo uma combinação deles, resultava em atrasos, paralisações nas linhas de montagem, perdas de material, dificuldades de armazenagem ou logística e todo tipo de prejuízo para as organizações.

Hoje, o conceito de gargalo também é amplamente vinculado à realidade das pequenas e médias empresas, incluindo aquelas que atuam no varejo, e com a mesma função: a ideia é descrever os entraves que um determinado empreendedor enfrenta no dia a dia e que representam riscos à operação ou ao negócio, como um todo.

Alguns gargalos são tão graves que podem vir a comprometer a existência da empresa em pouco tempo, se não forem solucionados. Eles vão desde a escassez de mão de obra preparada para atender ao crescimento das vendas, passando pela gestão ineficiente de recursos (sejam eles financeiros ou humanos) até a falta de conhecimento específico sobre a concorrência.

A seguir, vamos saber quais são e como ocorrem os principais gargalos na perspectiva do varejo, a fim de que você possa buscar as melhores alternativas de ação. Confira!

Exemplos mais comuns de gargalos de produção do varejo

Falhas na gestão

As deficiências na condução diária do negócio ainda são o grande calcanhar de Aquiles para o varejo. Se o gestor não consegue comprar bem, por exemplo, haverá uma série de desdobramentos que vão impactar nos resultados: desequilíbrio no estoque, com excesso ou falta de itens importantes; gastos incompatíveis com o perfil financeiro da empresa; redução da margem de lucro ou aumento do preço final para os clientes.

Do mesmo modo, uma gestão equivocada dos recursos humanos da empresa poderá trazer uma série de empecilhos, como insatisfação generalizada entre os funcionários, sabotagem interna, colaboradores inseguros e pouco comprometidos, aumento da rotatividade de pessoal, dentre outros.

Problemas de capacitação / custo da mão de obra

Sem colaboradores devidamente capacitados para atender ao cliente, o futuro de qualquer negócio é incerto. Ainda mais no ambiente do varejo, em que o contato direto com as pessoas determina boa parte da imagem da empresa, ou seja: clientes insatisfeitos costumam ser a pior propaganda possível — e uma das mais eficazes, para desespero de muitos lojistas que descobrem, tardiamente, atitudes antiéticas, descabidas ou simplesmente mal educadas por parte de um funcionário despreparado.

O problema é que no Brasil os custos de mão de obra são altíssimos, chegando a praticamente inviabilizar uma série de atividades comerciais. Além disso, mesmo que o empreendedor esteja disposto a pagar, existe a questão da qualidade: programas de treinamento são raros ou ineficazes, resultando em funcionários pouco ou nada identificados com a cultura e a missão da empresa.

Tecnologia / inserção nas redes sociais

Muitos varejistas ainda não perceberam que não estar nas redes sociais, em alguns casos, equivale a não existir. Acontece que o descompasso entre um negócio “desconectado” e os hábitos de compra dos clientes pode ser desastroso. Neste caso, o gargalo se traduz em uma completa falta de alinhamento da empresa com a sociedade contemporânea.

Perdas interligadas

É comum que a gestão inadequada de um departamento seja “contagiosa”, refletindo diretamente em outros setores. Aqui, o gargalo de produção é um problema localizado, mas que traz consequências globais: se uma área da empresa não consegue entregar suas demandas no prazo, várias outras poderão sofrer atrasos, comprometendo seriamente a imagem e os resultados finais.

Atendimento precário ao cliente

Não há mais tolerância para este gargalo no mundo atual, embora ainda seja algo muito comum. As pessoas estão mais exigentes e bem informadas, de forma geral, o que as deixa com pouca disposição para lidar com um atendimento ruim. Ao menor sinal de insatisfação, clientes que puderem, certamente vão migrar para a concorrência, em busca de serviços que julguem ser melhores.

Estratégias para contornar os problemas mais recorrentes.

Lidar com gargalos de produção no varejo exige que o empreendedor faça uma profunda reflexão sobre seu negócio e esteja disposto a reavaliar suas práticas, como gestor. Muitas vezes, o simples fato de mudar a abordagem – abandonando a postura reativa e abraçando medidas preventivas – torna possível realizar mudanças verdadeiramente benéficas no dia a dia da organização. Atente para as seguintes sugestões e tente imaginá-las no contexto da sua empresa ou do local em que você trabalha.

Identifique o problema

Sem alvo definido, todos os esforços e recursos empregados serão inúteis. O primeiro e mais importante passo para sanar um gargalo, portanto, é analisar a fundo todos os aspectos do negócio, de forma realista e prática.

Saiba quem é seu cliente e o que ele realmente quer

Pesquisas de satisfação podem ser ferramentas muito úteis no contexto das empresas de varejo. Procure entender o que os clientes buscam quando entram na loja; esteja disposto a testar soluções e sugestões, investigue a verdadeira persona dos clientes e tente traduzir suas reais necessidades. Às vezes, pequenas alterações na postura dos funcionários podem aumentar consideravelmente os índices de satisfação e retorno.

Invista em treinamento

Esse ponto é inegociável. Ofereça as condições para que seus colaboradores evoluam, desenvolvam habilidades e estejam, de fato, à altura dos objetivos do negócio, a fim de que a empresa não esteja sujeita à estagnação.

Incorporar funcionários despreparados é um erro grave e de proporções desconhecidas: um péssimo atendimento pode deixar um cliente apenas irritado, sem maiores consequências, ou então disposto a ir às redes sociais para compartilhar toda a sua indignação, chegando a abalar a reputação da sua empresa.

Procure agregar valor ao negócio

No momento não é possível oferecer preços mais acessíveis ou cortar custos? Que tal pensar em alternativas para encantar o cliente, como um pós-atendimento que demonstre atenção e cuidado? Lembre-se: frequentemente, o que define a escolha de um consumidor não é o produto, que é similar a outros em muitos aspectos, e sim a qualidade da experiência de compra. Talvez a solução para um importante gargalo de produção esteja, portanto, na criatividade, e não no departamento financeiro!

Agora que você aprendeu a identificar gargalos na produção do seu varejo, entenda como o marketing sensorial pode ajudar nas suas vendas!

Como aumentar a produtividade de minha equipe?

O rendimento dos funcionários e colaboradores no dia a dia é uma preocupação de todos aqueles que estão envolvidos com a tomada de decisões e os resultados na área de vendas — por conta disso, encontrar as estratégias certas para aumentar a produtividade é fundamental.

Em nosso post de hoje, vamos mostrar o que deve ser feito para aumentar a produtividade da equipe de vendas. Confira!

Por que é importante estabelecer rotinas produtivas e metas claras

A busca de parâmetros mais robustos começa com a definição dos objetivos que se deseja alcançar. Sem metas realistas e adequadas ao contexto de mercado em que a empresa atua, nenhuma equipe pode dedicar-se à tarefa de vender mais e melhor. Cada integrante precisa, primeiramente, assimilar aquilo que está sendo pedido.

O passo seguinte é estabelecer práticas diárias e contínuas que possam estimular a ação dos vendedores, o que constitui a chamada “rotina produtiva”: comportamentos de trabalho saudáveis, focados no aprimoramento da performance, no respeito à cultura organizacional e na busca de crescimento pessoal.

Para tanto, as equipes precisam ter as ferramentas certas à disposição. Cabe aos gestores fornecer todos os meios necessários para a melhora dos resultados, como infraestrutura física e equipamentos, recursos eficientes de comunicação e interação, bem como quaisquersoluções (físicas ou virtuais) capazes de contribuir para a realização das demandas.

Alternativas que contribuem para o aumento da produtividade

Inclusão de ferramentas mobile

Essa talvez seja a principal medida a tomar. Processos de interação online são insubstituíveis, e nenhuma equipe pode realmente melhorar sem ajuda da tecnologia para corrigir falhas, acompanhar resultados, compartilhar informações e manter os integrantes atualizados sobre o andamento das metas traçadas.

Feedback contínuo e produtivo

Não espere até que os índices alcançados sejam negativos para tomar algum tipo de atitude. Reaja imediatamente, diga o que não deu certo, aponte os desvios e peça a colaboração de todos. Ao mesmo tempo, seja um bom interlocutor: saiba ouvir queixas e pontos de vista diferentes para, então, argumentar.

Oportunidades de treinamento

Ofereça condições para que as pessoas se desenvolvam. Estimule o aprendizado por meio da leitura, busque vídeos e palestras que estão disponíveis gratuitamente na web e promova exibições coletivas na empresa. Discuta o conteúdo com a equipe e procure saber se é possível aplicar alguns dos conceitos apresentados. O caminho mais rápido para melhorar o desempenho é o conhecimento, em qualquer situação.

Programas de recompensa

Ainda não surgiu um mecanismo de motivação tão eficiente quanto a remuneração variável mediante o desempenho. A melhor alternativa para fazer esta recompensa, são os cartão pré-pagos, que podem ser de conteúdos específicos como Google, Netflix ou experiências, um cartão como Acesso ou Zuum onde você coloca um valor pré-determinado e o premiado gasta onde quiser ou de uma loja ou supermercado.

Quando um vendedor compreende que seu nível de aplicação e determinação pode impactar diretamente nos ganhos, a chance de manter-se focado às metas aumenta consideravelmente. Por outro lado, lembre-se que não adianta estabelecer as mesmas metas para pessoas diferentes. É preciso adequar as expectativas à capacidade e ao perfil de cada um, aliando objetivos coletivos a outros que premiem o esforço individual.

Entenda a burocracia como um entrave

Aumentar a produtividade exige que os gestores estejam dispostos a abrir mão do controle excessivo. Empresas demasiadamente centralizadoras impedem, sistematicamente, a obtenção de resultados mais expressivos, simplesmente por que não deixam o trabalho fluir.

Elimine relatórios, a não ser que sejam realmente úteis; decrete o fim das reuniões protocolares e mantenha apenas as imprescindíveis, nas quais haja troca de experiências e oportunidades de aprendizado para todos; dê autonomia para que as pessoas talentosas assumam seus papéis; e, finalmente, aprenda a delegar tarefas, desde que os escolhidos entendam a prerrogativa da responsabilidade.

E então, o que achou do texto? Deixe um comentário e compartilhe sua experiência sobre como aumentar a produtividade da equipe de vendas!

5 dicas para encantar clientes no ambiente online

Cada vez mais, o ambiente online tem se tornado o maior palco de circulação das pessoas: todos estão conectados. Elas estão em busca de produtos, serviços, informações ou mero entretenimento. E é nesse cenário que o seu negócio está inserido. Portanto, negligenciar a esfera virtual não é uma alternativa para empresas que desejam encantar clientes e ter sucesso.

Para ajudá-lo a traçar estratégias para conquistar clientes e fazê-los chegar até o seu negócio, separamos algumas dicas que você precisa começar a seguir o quanto antes.

Como encantar clientes no ambiente online?

Quando o cliente chegar até o seu negócio, você deve estar preparado para recebê-lo com tudo aquilo que ele busca. E saiba que isso vai muito além do seu produto ou do seu serviço: ele quer uma experiência de consumo inesquecível, completa, intuitiva e sem muito esforço.

Veja alguns dos elementos que podem ajudá-lo a otimizar a experiência dos seus clientes:

  • Produza conteúdo relevante e periódico para seu público;

  • Tenha uma interface que privilegie o usuário;

  • Crie ferramentas que facilitem o processo de compra;

  • Adote múltiplos canais de comunicação: redes sociais, blogs, loja virtual, etc.

5 dicas para encantar clientes no ambiente online

1. Saiba quem é o seu público

Se você quer encantar clientes no ambiente online, o primeiro passo a ser tomado é identificar quem são as pessoas que estariam interessadas em consumir o seu produto. Depois disso, é hora de entrar na mente de sua persona ideal e explorar tudo aquilo que ela pode informar:

  • Quais os hábitos de consumo que ela tem;

  • Suas preferências e o padrão de compra que possui;

  • O caminho que costuma percorrer ao buscar pelo produto que precisa.

2. Trabalhe sua marca nas redes sociais

As redes sociais são plataformas de comunicação que colocam o consumidor e a marca muito próximos um do outro. Por meio delas, você pode reunir informações sobre seu público e ainda conquistar novos clientes.

A ampliação da presença digital do seu negócio permitirá à sua empresa:

  • Divulgar conteúdos relevantes para seu público-alvo;

  • Engajar a audiência que você tem e atingir quem ainda não conhece sua marca;

  • Melhorar a interação com o cliente, responder às dúvidas rapidamente e ainda solucionar conflitos de forma mais pessoal e personalizada.

Essas atitudes produzem sentimentos de credibilidade e confiança na marca e serviços oferecidos pela empresa.

3. Ajude seus clientes a descobrirem quais são seus problemas

A melhor forma de atrair clientes para o seu negócio é fazer com que eles cheguem até você. E não existe melhor maneira de se fazer isso do que oferecer informações úteis ao seu público e alinhadas com seus produtos e serviços.

Ao esclarecer as dúvidas das pessoas e fazê-las identificar os problemas que possuem, o seu negócio passa a ser a possível solução. É uma ótima forma de engajar a audiência e ainda gerar leads qualificados.

4. Elabore estratégias que busquem fidelizar seu público

Uma ótima forma de encantar clientes é oferecer exatamente o que eles desejam e um pouco mais. Sendo assim, invista em táticas que estimulem o cliente a comprar no seu negócio, como distribuição de cupons promocionais, produtos complementares grátis ou com desconto, vale presentes, ou o envio da mercadoria sem cobrança de frete. São ações que fazem com que o cliente se sinta especial, seja encorajado a seguir com a compra e retornar a sua loja online sempre que precisar.

5. Ofereça um site convidativo e funcional

Se o seu negócio oferece um site com boa estrutura, além de ser funcional e intuitivo, então ele também proporciona uma ótima experiência ao usuário. As pessoas precisam de algo que consigam compreender facilmente e de forma satisfatória. Além disso, o modo que seu site é organizado constitui um aspecto crucial da performance SEO.

Então, para que você consiga encantar clientes online, precisa entender quais são as necessidades do seu público e fazer com que ele se lembre de você. Trata-se de tirar o foco do seu produto ou serviço e colocar o consumidor no centro do negócio, através de ofertas cada vez mais personalizadas.

Gostou das nossas dicas sobre como conquistar clientes online? Então, nos siga nas redes sociais (Facebook, LinkedIn) e fique por dentro de todo o nosso conteúdo!

Conheça 5 estratégias com cupons promocionais para vender mais

As compras na internet vêm crescendo a cada dia. Só que a concorrência também está aumentando e é preciso implantar estratégias para fazer o seu site vender mais. Quer uma dica que pode ajudá-lo? Os cupons promocionais podem ser uma saída bem interessante para ajudar nessa tarefa.

Para saber como usá-los, criamos um artigo com algumas possibilidades dessa ferramenta. Confira:

O que são cupons promocionais?

Muito populares nos Estados Unidos, os cupons promocionais são como anúncios de uma marca ou estabelecimento que oferecem descontos e/ou brindes a partir de uma compra.

Eles podem ser oferecidos abertamente (site, redes sociais) ou por envio selecionado (e-mail, mensagens privadas). O controle para o seu uso pode ser feito por meio de um código a ser digitado dentro do carrinho de compras ou de um link específico enviado ao cliente.

Quer saber como usá-los no seu negócio e vender mais? Vamos às estratégias!

1 – Recupere os carrinhos abandonados

É bastante comum lojas virtuais terem carrinhos abandonados pelos clientes. Só que você não precisa considerá-los um caso perdido, ainda é possível finalizar a venda e recuperar aquele consumidor.

Dependendo do valor da compra (ou dos seus objetivos), você pode mandar um e-mail para o cliente, avisando que os produtos do carrinho ainda estão disponíveis e que ele ganhou um cupom de frete grátis. Ou, ainda, uma oferta de desconto bem atraente para a próxima compra, se ele finalizar a atual.

O interessante aqui é deixar a oferta disponível por pouco tempo e criar um senso de urgência para ele fechar negócio.

2 – Aumente a participação no site

E-mail marketing é uma ferramenta poderosa, só que muitos e-commerces lutam para conseguir adesões para as suas listas. Os cupons promocionais podem entrar aqui como um atrativo e aumentar as inscrições na sua newsletter.

Além de um novo e-mail para a sua base, pode já conseguir fisgar um cliente na sua primeira compra.

3 – Fidelize os clientes

Como as ofertas na internet são muitas, não é difícil ter na sua base clientes que compram no seu site apenas uma vez. Aproveite os cupons promocionais para fazer com que eles continuem comprando. Você pode enviar o cupom assim que ele fechar a compra ou esperar um tempo para retomar o contato. O importante é fazer com que ele sempre volte ao seu site!

4 – Aumente o tíquete médio

Você provavelmente já viu algum anúncio do tipo: “nas compras acima de R$ X, ganhe mais R$ Y de desconto em compras e frete grátis”.

Esse tipo de cupom promocional serve para aumentar o tíquete médio das vendas no seu site. A partir dele, o cliente se sente tentado a encher o carrinho até chegar ao valor oferecido e ganhar mais poder de compra. Ele se sente como se estivesse ganhando algum tipo de vantagem ou benefício.

5 – Conquiste novos clientes

Uma boa estratégia para ganhar clientes é oferecer cupons promocionais na primeira compra. Além do ponto positivo óbvio conquistado pelo desconto, sua empresa ainda faz uma ótima ação de boas-vindas, dando um presente logo de entrada, o que ajuda bastante na hora de fidelizar o comprador.

O importante, na hora de oferecer cupons promocionais, é planejar bem para que a ação garanta bons resultados. Aproveite essas estratégias e aplique na sua loja para vender mais e melhor!

Que tal curtir a nossa página no Linkedin? Lá você poderá ter acesso a outros artigos, novidades, além de tirar todas as suas dúvidas sobre soluções pré-pagas para o seu negócio!

O que é a jornada do cliente e como é feita?

Você já ouviu falar em jornada do cliente? Essa é uma das ferramentas utilizadas para oferecer ao consumidor uma experiência única com a sua marca, conduzindo-o em estágios de relacionamento até a consumação da compra do seu produto ou serviço.

Atualmente, empresas de diferentes setores utilizam a jornada do cliente para chegar até seus consumidores, oferecer o que precisam e, consequentemente, fidelizá-los.

Quer saber como aplicar a jornada do cliente na sua empresa? Veja agora como ela é feita!

O que é a jornada do cliente?

A jornada do cliente é uma das estratégias do marketing digital que acompanha os consumidores em seu percurso de decisões até a realização da compra.

A jornada inclui o primeiro contato entre consumidor e empresa, decisão de compra e relações pós-venda. Por meio dessas etapas é possível ver o que seu consumidor busca, quando e como.

A importância de definir personas

Para aplicar a jornada do cliente é fundamental definir uma persona — as personas são personagens criados com base no perfil de um cliente ideal.

Para construir a persona você deve elencar dados como idade, trabalho, escolaridade, interesses, dificuldades, preocupações e intenções de compra.

A partir dessa persona é que serão estabelecidas as estratégias que vão conduzi-la pelas etapas da jornada, que você vai conhecer agora.

Estágio de consciência

Esse é o estágio em que o seu cliente identifica que tem um problema e que, portanto, procura por uma solução para resolvê-lo. O cliente chega nesse estágio por meio de um impulso interno ou externo, ou seja, por perceber sozinho que tem uma dificuldade ou por entrar em contato com algum conteúdo que evidencie esse problema ou oportunidade.

Estágio de consideração

O cliente já consegue ter clareza sobre seu problema ou necessidade. Por isso, ele já está em busca das soluções mais específicas para a questão. Aqui, o cliente vai atrás de informações, compara possibilidades e avalia a melhor saída para a sua demanda.

Estágio de decisão

No estágio final da jornada do cliente, ele vai avaliar suas possibilidades e tomar a decisão pela compra do produto/serviço. Aqui, é importante mostrar o diferencial da sua empresa por meio de histórias e cases de sucesso.

Como aplicar a jornada do cliente?

Para compreender os movimentos do cliente e levá-lo por essas etapas, além de definir bem as personas, é preciso estar atento aos pontos de contato.

Esses pontos são obtidos por meio do estudo do comportamento do seu cliente. Seja na navegação pela web ou nos hábitos de compra. Por meio dos pontos de contato você vai conseguir definir as estratégias para colocar sua marca no lugar certo e no momento certo em contato com o cliente.

Uma vez identificados os movimentos e comportamentos de navegação do seu cliente em potencial, você precisa pensar em quais canais utilizar para estabelecer a relação entre sua empresa e o cliente. Esses canais podem ser o Facebook, site, blog, YouTube etc.

A partir disso, oferecer um conteúdo original e relevante, que venha conduzir essa persona pela sua jornada até a efetivação da compra do seu produto ou serviço.

Para oferecer o conteúdo certo é preciso identificar em qual estágio da jornada (consciência, consideração ou decisão) está o seu cliente. Veja abaixo como utilizar estratégias para cada um desses estágios.

Consciência: aprendizado ou descoberta

Como foi dito, essa é uma etapa muito inicial, na qual o consumidor ainda está descobrindo sobre o seu problema. Por isso, nessa fase, não é indicado um contato direto do time de vendas com o cliente, pois isso pode causar um efeito contrário ao esperado.

Além disso, os conteúdos produzidos não devem conter propagandas, pelo mesmo motivo citado acima. O cliente ainda não conhece sua empresa, então, o que você precisa fazer aqui é atraí-lo. Ofereça informações a respeito dos problemas que estão sendo identificados, de modo a educar este consumidor.

Consideração: reconhecimento do problema

Como nessa fase o consumidor já conhece o problema a ser resolvido, ou até já identificou uma oportunidade, o melhor a fazer é mostrar como ele pode resolver determinadas questões.

Chegou a hora de educá-lo e ensiná-lo, tirar suas dúvidas por meio de conteúdo e apresentar soluções. O time de vendas já pode ajudar na educação do prospect, preparando-o para uma futura compra.

Decisão de compra

Quando o cliente decide por comprar a solução para suas necessidades, chega o momento de apresentar com clareza as vantagens de seu produto.

Se esse prospect chegou até o seu time de vendas nessa fase da jornada, é porque ele tem real interesse em adquirir seu produto. Essa é a hora de usar todas as informações sobre a sua oferta e o que faz ela ser tão especial.

A tecnologia na nova jornada do consumidor

Agora que você já sabe que a jornada do cliente é todo o processo que a pessoa passa antes de tomar a decisão e adquirir um produto ou serviço, vamos falar de como esse processo está funcionando na atualidade.

Hoje, não basta entender um conceito formado, é preciso saber como ele se adapta à realidade do mercado e como será moldado pelas tendências no futuro. Por isso, vamos falar sobre como o ambiente tecnológico e conectado está impactando no processo de decisão de compra do cliente.

Em um passado recente, haviam canais de comunicação separados: TV, rádio, jornais etc. Agora com a internet e dispositivos móveis, o que vemos é uma conectividade, interferência e influência entre os canais.

O consumidor consegue assistir TV do celular, pesquisar sobre um serviço em seu tablet enquanto escuta uma propaganda no rádio, comparar preços de um eletrodoméstico enquanto está na loja física. Tudo está conectado, não há mais barreiras entre o online e o offline.

O que muda na jornada é que um anúncio na televisão pode levar o consumidor a pesquisar sobre a marca na internet, para depois finalizar a compra em loja física, por exemplo. Ou seja, não há um único caminho para seguir nessa jornada, é preciso elaborar estratégias de comunicação que utilizem canais integrados.

Para chamar a atenção do prospect é necessário encontrá-lo e criar uma experiência boa em toda sua jornada de compra. Para isso, existe o método AIDA (Atenção, Interesse, Desejo e Ação), que pode ser aplicado durante as etapas da jornada do consumidor.

Um estudo detalhado da persona e da jornada é o que vai garantir uma experiência única e agradável para seu cliente, fazendo com que ele se torne fiel e que sua marca ganhe visibilidade.

Gostou de aprender um pouco mais sobre a jornada do cliente? Conte para a gente se você já aplicou ou pretende aplicar essa estratégia no seu negócio!

 Gostou de saber mais sobre o que é a jornada do cliente e como é feita? Se você quer mais novidades, venha nos seguir no Facebook e no LinkedIn!

8 motivos para oferecer cartões presente em lojas online

Já falamos aqui no blog sobre algumas das vantagens de oferecer cartões de presente no varejo, mas você sabia que eles também são uma ótima opção para as lojas online? Muitas são as grandes lojas virtuais, como a Amazon, que oferecem essa opção e recebem muita aceitação dos consumidores.

É possível oferecer os cartões de presente de marca própria, o que traz inúmeras vantagens. Confira abaixo 8 motivos para investir nessa forma de pagamento no seu e-commerce!

1. Qualquer loja virtual pode oferecer

Não importa se você começou o e-commerce agora ou já trabalha com o site há algum tempo, os cartões de presente são uma boa alternativa para os dois casos. Essa é uma estratégia de marketing que pode ser utilizada tanto para fortalecer a sua imagem no mercado como para apresentar a marca aos consumidores.

E esse método só tende a crescer, pois como a aceitação por parte dos consumidores é grande, várias lojas já estão disponibilizando essa opção para os seus clientes.

Por essa razão, você não pode deixar passar essa oportunidade de conquistar mais clientes, diminuindo as chances de perdê-los para os seus concorrentes.

2. Oferece praticidade ao consumidor

Com certeza, todo mundo tem um amigo ou familiar que possui uma rotina muito atarefada e não tem tempo de ir até uma loja física trocar um cartão presente. Essa é a opção ideal para aqueles que desejam oferecer, além de uma lembrança, a praticidade para recebê-la no conforto de casa.

Tanto para quem vai presentear quanto para quem vai receber o presente, o cartão é uma ótima opção. Isso porque, muitas vezes, o consumidor não sabe exatamente o que a outra pessoa gosta e, com o cartão presente, ele oferece, ao seu amigo ou parente, a oportunidade de escolher o que ele quer.

3. Aumenta o valor do ticket

Quando a pessoa tem a possibilidade de usar o cartão presente em um varejo virtual, a vontade de aproveitar a economia e adquirir um outro produto é praticamente irresistível. Com a facilidade do e-commerce, em que é possível visualizar vários itens em questão de segundos, é fácil encher o carrinho com vários produtos.

Com isso o valor do ticket médio aumenta, pois o consumidor ficará a vontade para escolher o que desejar.

4. Estimula as compras nas datas sazonais

Algumas datas sazonais, como o Dia das Mães, Natal e Black Friday são ótimas oportunidades para as lojas virtuais personalizarem os cartões presentes e realizarem ótimas campanhas de marketing. Também é possível usar a criatividade e criar cartões de datas não tão exploradas, como o dia do amigo ou dia da tia, por exemplo.

Outro período muito importante, que tem bastante procura de cartões de presentes, são as festas de final de ano. Normalmente, como é de costume da maioria da população, são realizados os amigos secretos, uma brincadeira saudável realizada entre familiares e amigos.

Nela, cada pessoa fica responsável por presentear outra, no dia da revelação do amigo secreto. Neste momento os cartões presentes tornar-se uma ótima opção, pois quem receberá o cartão ficará muito feliz porque vai conseguir escolher o que quer.

5. Deixa o consumidor mais seguro

Você sabia que um a cada três brasileiros têm medo de realizar compras pela internet? Mesmo com a popularização do e-commerce, muitas pessoas ainda sentem-se inseguras em inserir seus dados bancários no momento do pagamento.

Com um cartão presente, o consumidor pode fazer sua compra tranquilamente, sem se preocupar com algum tipo de fraude. Um presente ideal para aquele amigo que sempre quis aproveitar a facilidade do e-commerce, mas preferiu não arriscar.

6. É fácil integrá-los nas estratégias de marketing

Os cartões de presentes podem ser integrados facilmente nas estratégias de marketing. Você pode estruturar as suas campanhas em todos os canais de comunicação. Seja por meio das redes sociais, e-mail marketing ou links patrocinados.

Essas campanhas oferecem um retorno positivo, pois ao realizá-las você segmenta o seu público, fazendo com que as promoções cheguem naqueles consumidores que realmente têm interesse no seu produto.

7. É viável elaborar estratégias de follow-up

Ao unir as estratégias de follow-up com os cartões de presente, você estará incentivando a recorrência de compras na sua loja virtual.

Isso porque, na maioria dos casos, pode acontecer do consumidor não estar precisando de nada para ele, então ele aproveita a oportunidade para comprar algo para outra pessoa.

Com isso, você consegue manter um bom relacionamento com o seu cliente, tornando-se a principal preferência dele, na hora de realizar qualquer outra aquisição.

8. Aumenta a fidelização de clientes

Quando alguém recebe um cartão de presente, você está dando a oportunidade para que esse consumidor conheça seus produtos e queira ser um cliente da sua loja online.

Para o consumidor que presenteia, você estará oferecendo comodidade. Ele não precisa se preocupar se a pessoa que receberá o presente vai gostar dele ou não, pois ela terá a conveniência de escolher o que desejar.

Com isso, você acaba ganhando a fidelização nos dois casos: com o cliente que já comprou de você, e gostou da comodidade oferecida, e com o cliente que conheceu e aprovou seu produto.

Os cartões de presente devem ser considerados como uma ótima opção para todas as ocasiões, e as lojas virtuais podem aproveitar esse recurso para aumentar a conversão e fortalecer a sua marca. Pesquise os melhores tipos para o seu e-commerce e comece o quanto antes a oferecer essa opção aos seus consumidores.

Gostou do artigo? Então, que tal aderir essa opção de cartões de presente na sua loja virtual? Entre em contato com a epay e conheça os nossos serviços e soluções pré-pagas!

O poder do display de cartões pré-pagos: muito mais do que o impulso da compra

Todo fornecedor de varejo sabe que o display é a vitrine mais importante para expor o seu produto, e o varejo por sua vez sabe a importância de ter os produtos certos nestes espaços. 

Pensando nisto, quando se tem a oportunidade de usar uma das vitrines mais caras de um supermercado, que é o espaço diante do caixa, é preciso aproveitar ao máximo.

Por que o espaço do caixa é tão importante? 

Uma das vantagens do caixa é claro, é o tempo de permanência dos clientes parados no mesmo local.

Enquanto estão aguardando na fila, ou caso não haja fila, enquanto estão depositando os produtos na esteira e aguardando para pagar, eles ficam diante de uma série de opções de compras.

Mesmo não sendo itens que estavam em sua lista ou de sua principal necessidade, são itens que ocasionam a compra por impulso.

Os displays de cartões pré-pagos de conteúdo, como Netflix, Xbox, Ongame, Riot, League of Legends, entre outros que proporcionam ao consumidor a opção de adquirir créditos para esses serviços ou jogos, pagando os cartões no caixa, ficam justamente na entrada dos caixas. Ou seja, não é só a vitrine para a compra do cartão em si: é muito mais do que isso, é uma vitrine de exposição da marca.

Agora imagine o cartão presente marca própria da sua rede exposto junto com todas estas marcas… 

Mesmo que o consumidor resista à curiosidade de testar um desses cartões, ou resista ao impulso de comprar um que esteja precisando, ele está exposto às marcas, penduradas organizadamente em displays exatamente à altura dos seus olhos.

E isto gera gatilhos mentais que faz com que o cliente lembre da sua marca ou das marcas expostas em momentos propícios, como por exemplo na hora de presentear. 

O poder inconsciente da exposição à marca já foi provado e comprovado ao longo da história do marketing e da publicidade. Portanto, mesmo que o espaço do caixa seja condicional para a venda dos cartões, não se deve jamais menosprezar essa grande vantagem.

Mas lembre-se que é essencial manter os displays sempre limpos, organizados e recheados de cartões, cada um em seu respectivo gancho – e nunca misturados – são condições ideais para que toda essa exposição compense muito além da ativação do cartão.

 

O ciclo virtuoso do cartão pré-pago

Como o controle financeiro das pessoas pode transformá-los em bons consumidores

O ciclo virtuoso do cartão pré-pago tem se tornado cada vez mais disseminado entre redes varejista de pequeno, médio ou grande porte no Brasil.

Os motivos são diversos e passam pelo discurso da operadora de que:

– A margem para o lojista com a ativação de cartões no caixa é vantajosa;

– A oferta de conteúdos variados, desde jogos até cartões de crédito pré-pagos atrai clientela para a loja;

– Os clientes que vão para ativar um cartão pré-pago acabam gastando com outras aquisições na loja;

– O cartão marca própria, ou cartão presente, geram fidelização de clientes.

São vantagens indiscutíveis, principalmente, porque para ofertar cartões pré-pagos aos seus compradores, os lojistas devem fazer investimentos mínimos, sendo todo o treinamento dos caixas, integração dos sistemas para ativação dos cartões e display dos plásticos, totalmente de responsabilidade da operadora.

Controle Financeiro

Mas ainda há mais uma vantagem, ainda melhor do que toda a lista acima e que carrega consigo uma generosa missão: o controle financeiro dos consumidores.

O ciclo virtuoso começa a partir do momento em que um cidadão resolve tornar seus gastos com determinados produtos e entretenimento, em custo pré-pago.

Seja um cartão de crédito pré-pago para o filho, seja o pagamento de alguns serviços de forma calculada. Quando o indivíduo faz isso, ele está aumentando as chances de ter um controle financeiro maior.

Tendo um controle maior, ele terá também o crescimento de sua saúde financeira. Com as contas em dia e mais fôlego, ele passa a ser um cliente melhor, capaz de consumir mais.

Ou seja, independente se um cliente vai ativar um, dois, três cartões, ou se em sua loja há variedade determinada de conteúdos, esse mercado de pré-pagos só traz benefícios, seja de curto, médio ou longo prazo – este último, capaz de melhorar até mesmo a qualidade de vida das pessoas como um todo, transformando-as em consumidores mais conscientes e capazes de manter o mercado girando positivamente.

 

 

Como usar o cartão presente marca própria como estratégia de fidelização?

Investir em novas práticas que gerem oportunidade de negócios e aumento de faturamento é o objetivo de 10 entre 10 empresas. Nesse contexto, surge o cartão presente marca própria, ou o cartão presente personalizado para o varejo, que é uma excelente estratégia de fidelização de clientes.

Então, se você busca novas alternativas para ajudá-lo a gerar mais resultados dentro da empresa, acompanhe nosso post de hoje e saiba como usar o cartão presente marca própria para alcançar seus objetivos!

Como investir nessa estratégia

Uma empresa que opta por modernizar suas estratégias através do cartão presente marca própria pode fazer isso de forma simples. Basta emitir o cartão e administrar os serviços por meio do setor de inteligência do estabelecimento.

No entanto, é importante lembrar que, com a atual situação econômica, as pessoas têm evitado assumir dívidas. Por isso, o cartão pré-pago é o melhor investimento a se fazer. Além de transmitir segurança ao cliente quanto a forma de pagamento, é seguro e rentável para a própria empresa.

Vantagens dos cartões pré-pagos

Por meio dos cartões pré-pagos é possível aumentar o ticket médio da loja e melhorar o mix de produtos sem investir em novos itens e aumentar o fluxo financeiro. Se o cliente não utilizar o cartão, o dinheiro terá ido para o varejo, independentemente da compra, é uma receita antecipada e não paga nem imposto sobre o cartão.

Além disso, o cliente também tem algumas vantagens que podem ser usadas como marketing, como, por exemplo, a questão de segurança. Em casos de perda ou furto do cartão, o varejo não perde nada, pois o “plástico” não tem valor até ser ativado no caixa. Ou seja, não há dúvidas de que apostar nesse recurso é um investimento seguro.

Mas se você ainda tem alguma dúvida, veja como fidelizar clientes usando o cartão de marca própria!

Táticas para fidelização de clientes

O cartão por si só já é uma excelente ferramenta de fidelização, pois o cliente que o adquire vai dar preferência àquele estabelecimento na hora de fazer suas compras. Porém, é preciso usar algumas táticas para promover a fidelização de maneira mais efetiva.

Um cliente que opta pelo cartão da loja, faz essa escolha pensando nos privilégios que terá. Por isso, é importante oferecer condições especiais aos que possuem o cartão.

Oferecer descontos ou créditos em compras, por exemplo, são algumas das formas de oferecer vantagens que chamam a atenção do comprador para utilizar o cartão próprio do seu estabelecimento.

Além disso, o cartão presente para o varejo também é ótimo para fidelização de clientes, principalmente em datas comemorativas, como agora nas festividades de fim de ano. Portanto, não deixe de utilizar essas táticas para obter melhores resultados nos negócios.

Agora que você já sabe como usar o cartão de marca própria como estratégia de fidelização e que esse investimento é o mais seguro, correto e rentável para os negócios, está na hora de você apostar nessa alternativa e seguir em direção a realização de seus objetivos. Aproveite e assine nossa newsletter para ficar por dentro das novidades que publicamos em nosso blog!