Games online: saiba como entrar nessa festa digital

Um número de 2,3 bilhões de pessoas. Esse é o tamanho do mercado consumidor de games divulgado na última edição da E3 Expo, maior feira do setor que ocorreu no mês de junho em Los Angeles. Uma indústria que vai além dos jogos propriamente ditos, comercializando consoles, computadores tunados, acessórios, periféricos, e obviamente, muitos smartphones. É uma cadeia comercial forte e poderosa da qual está ficando difícil não participar.

Por sua vez, o e-commerce é convidado de honra dessa festa online. Em termos mundiais, esse público ávido por novidades deverá movimentar em 2018, segundo o último relatório da Newzoo, US$ 137,9 bilhões — crescendo 13% em relação a 2017. A maior taxa de crescimento, contudo, emerge dos players de smartphones, subindo 25% ao ano desde 2007 — quando o primeiro iPhone foi lançado -, devendo alcançar a cifra de US$ 70 bilhões em jogos mobile até dezembro de 2018.

O mesmo estudo revela que o gamer brasileiro está trabalhando duro para se destacar nesse segmento. São 66,3 milhões de pessoas que consumiram em 2017, US$ 1,3 bilhão colocando o Brasil em 13.o lugar no ranking mundial da categoria.

Afinal, quem é o gamer?

Segundo a Pesquisa Game Brasil, há algumas classificações que diferenciam quem apenas joga de quem se considera efetivamente um gamer, ou heavy-user da categoria. Mas em termos de ticket médio, ambos são significativos: 4 em 10 gamers afirmaram gastar de R$ 100 a R$ 500 em jogos, enquanto os usuários de games “comuns” afirmaram gastar entre R$ 50 e R$ 300. E todos ávidos por ofertas: a cada 10 gamers, 4 fizeram alguma compra de jogo na Black Friday 2017. E, para 2018, 7 respondentes do estudo disseram que estão esperando ansiosos por boas ofertas de jogos nessa data promocional.

E onde esse povo está? Segundo pesquisas, nada menos de 38% da aquisição de games no Brasil ocorrem nos varejos online. Ou seja, o jogador online nada mais é do que um consumidor online bastante ativo. Isso demonstra que talvez esteja na hora dos SKUs de games ganharem destaque nas principais homepages das lojas virtuais.

O comportamento de compra também deve ser observado. Busca, compra e uso concentrados em uma única plataforma, é drive de consumo nessa categoria. E a melhor ferramenta do varejo online para atender à essa necessidade é sem dúvida a oferta dos Digital Codes*, ou créditos digitais pré-pagos de jogos online, o que colabora para a relevância no search dos buscadores.

Medidas simples para atrair os gamers para sua loja utilizando Digital Codes:

  • Diversidade: O leque de jogos para todos os tipos de público deve ser o maior possível e incluir marcas de portais como XBOX Live e Google Play, que ampliam as opções.
  • Frete grátis: O público que dá preferência pela compra de jogos em ambiente digital quer acima de tudo comprar e usar nesse mesmo ambiente. Procure evidenciar para seu consumidor essa experiência de uso: ao comprar Digital Codes não há perda de tempo nem custo de frete. É comprar, baixar e sair jogando.
  • Customização: Se seu varejo oferece eletroeletrônicos, PCs e acessórios, crie estratégias de “attach” dessas categorias com os Conteúdos Digitais de jogos. Se possível, aplique promoções, bundles ou micro-temas pontuais no seu calendário. Ex.: Game Today!, PlayGame Total, Fim-de-semana Live, Maratona PC, etc.
  • Categorização: Desenvolver categorias ligadas aos hábitos de consumo é um caminho certeiro praticado por varejos do Brasil e do mundo. “Orgulho Nerd”, “Semana Geek” e “Festival Games” são formas de categorização que podem aumentar a relevância em sites de busca.

Outra verdade absoluta: quando o mercado interno não atende a um determinado segmento, o consumidor acaba nos sites internacionais. Com gamers não é diferente. De acordo com o Webshopers 2017, o crossborder na categoria de games está em quarto lugar entre as de maior compra de brasileiros, com 18% do volume das 24 milhões de transações do ano passado.

Embora mandatória, a presença do e-commerce no mercado de game deve ser vista à luz da estratégia do varejista. Oferecer jogos online em sua loja não deve ser encarado como uma onda, mas como resposta à uma necessidade continua do seu consumidor. A oferta de qualquer produto ou serviço é resultado do foco em relações de longo prazo e engajamento dos consumidores, visando permanentemente cativar e manter o relacionamento do público com sua loja. A marca de 2 bilhões de consumidores anunciada pelos players do setor altera oficialmente o “game” do status de nicho de mercado, para o de uma categoria altamente relevante. Parece que essa festa não tem hora para acabar.

*Digital Codes são meios de pagamento pré-pagos de conteúdos de serviços. Permitem compra, acesso e uso 100% online para jogos, entretenimento, filmes, música, etc. Após adquiridos, pode ser usado para compra desses produtos na plataforma do provedor do conteúdo ou para enviar de presente à outra pessoa. Não precisa ter uma conta bancária para usar os créditos digitais.

 

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"