Supermercado Porecatu aposta em vendas de cartões pré-pagos!

Varejo assina com a epay Brasil, maior operadora de cartões pré-pagos do mundo

A rede de supermercados Porecatu, com 8 lojas nas cidades de Votuporanga e São José do Rio Preto, acaba de incluir em seu portfólio de serviços a venda de cartões presente pré-pagos –para compra de games, filmes, música, pagamento de pedágio, entre outros.

A inclusão deste novo serviço na rede foi possível graças à parceria com a epay Brasil, líder mundial em soluções pré-pagas, e que distribui e processa cartões presente pré-pagos em todo o país.  

Nas lojas Porecatu, os clientes encontram cartões pré-pagos do Google, XBOX, NETFLIX, League of Legends, Acesso, Level Up, Uber e Sem Parar. O uso dos cartões é fácil e prático. Basta o consumidor escolher seu conteúdo preferido, ativar o crédito do cartão no caixa por meio de pagamento e está pronto para ser utilizado.

Os cartões pré-pagos estão entrando cada vez mais no hábito de compra do brasileiro e já compõe o mix de produtos de varejos dos mais diversos segmentos que enxergaram a oportunidade de aumentar a disponibilidade de produtos para o consumidor, sem a necessidade de investimento em estoque.

“O varejista não precisa investir para compra e estoque dos cartões, nem na reposição das peças nos displays. Tudo isso é feito pela própria epay. É uma oportunidade de aumentar tráfego nas lojas, uma vez que os consumidores buscam cada vez mais esses conteúdos”, explica Rogério Lima, diretor de marketing da epay Brasil.


Sobre a epay

epay é líder mundial em soluções pré-pagas. Empresa do grupo EuronetWorldwide, com ações na Nasdaq, está presente em mais de 35 países. Especialista no processamento e gestão de produtos pré-pagos tais como: cartões presente, cartões para jogos online, assinaturas e créditospara conteúdos digitais. A epay Brasil tem como objetivo conectar marcas a consumidores por meio da tecnologia pré-paga, sem a necessidade de bancos e bandeiras de crédito. 

Para saber um pouco mais sobre assuntos relacionados às melhores práticas de mercado na gestão de empresas, dicas, ferramentas e metodologias, siga-nos em nossa página no Facebook e também no LinkedIn

Cartões presente pré-pagos: entenda por que eles têm conquistado o mercado

Desde 2013, o Brasil vem acompanhando o crescimento constante e rápido da atuação de cartões pré-pagos, tanto em relação a consumidores quanto a empresas que passaram a disponibilizá-los — ou seja, está é uma tendência de mercado que se consolidou e progride.

Esse advento proporciona segurança, facilidade no uso e até mesmo possibilita que pessoas sem conta bancária ou com nome negativado consigam pagar por assinatura de conteúdo ou fazer saques.

Veja agora por que essa forma de movimentar valores e fazer pagamentos segue em curva ascendente.

Funcionamento dos cartões presente pré-pagos

Há dois principais tipos de plataforma. Uma é de uso contínuo, mas sem vínculo bancário, com uma bandeira administradora. Para utilizá-lo, é necessário inserir valores previamente. Então, o cliente pode fazer compras nas funções débito e crédito à vista, pagar contas, transferir dinheiro e até receber depósitos e pagamentos.

Outra forma de facilitação para consumidores é a ferramenta destinada a pagamento de assinaturas de conteúdo. Basta que o comprador digite o código do cartão no site do provedor dos serviços e imediatamente a assinatura é efetuada.

Inclusão de pessoas sem crédito no sistema financeiro

Segundo pesquisa da Federação do Comércio (Fecomércio) do Rio de Janeiro, aproximadamente 36% dos brasileiros maiores de 18 anos não possuem conta em banco ou poupança. E conforme o Serasa Experian, o Brasil tem cerca de 59 milhões de negativados por inadimplência.

Esses dois dados mostram um número grande e relevante de consumidores que não possuem crédito no sistema bancário e nem formas de movimentar dinheiro, exceto na lida com moeda em espécie.

Com os cartões pré-pagos  — que funcionam como os de débito tradicionais —, esses grupos da população têm acesso a fornecedores de conteúdo e aplicativos e formas de movimentação de valores e aquisição de produtos.

Controle de despesas

Especialmente em relação aos cartões para utilização na função crédito à vista por recarga, não há como se perder nas contas e se endividar. Esse é um dos grandes motivos que fazem a ferramenta ter a preferência de muitas pessoas.

Também não existe fatura com juros sobre juros em porcentagens astronômicas. Diferentemente dos cartões de crédito comuns, os pré-pagos geralmente não possuem mensalidade ou anuidade — um custo fixo independentemente da utilização.

Segurança

Além de o usuário sentir-se seguro financeiramente, não precisa de dinheiro em espécie sempre, como vimos anteriormente. Com isso, em caso de furto ou perda de carteira ou bolsa, basta bloquear o cartão e adquirir um novo — os valores não serão perdidos.

Facilidade para aquisição

Além de não precisar ter conta em banco e poder estar negativado, o cliente pode apenas comprar o magnético e começar a usar — sem cópias de documentos e comprovações de renda.

Para adquirir formas de pagamento de assinaturas, o mesmo é feito. Basta ir a um supermercado ou qualquer local que os venda e pagar o valor referente ao crédito para uso disponibilizado pela ferramenta.

Cartões pré-pagos trouxeram ao país facilitação e possibilidades a uma grande parte da população e às classes sociais menos abastadas, maioria no Brasil. Mas revelando-se bons instrumentos, as classes A e B também passaram a utilizá-los — ainda que em menor número — por segurança, pouca burocracia e controle de gastos.

Sua empresa tira proveito dessas plataformas para agilizar processos ou maximizar resultados atingindo e inserindo públicos distintos? Deixe seu comentário e opine sobre essas ferramentas!

Marketing para varejo: veja como fazer o planejamento anual

Como você sabe, o marketing tradicional é direcionado aos aspectos do produto e da marca. Já o marketing para varejo é diferente. Ele se destaca pela forma com que a empresa se comunica com o consumidor.

É um recurso que busca entender o comportamento do público-alvo, seus desejos e necessidades para, em seguida, definir ações estratégicas para aumentar as vendas.

Por esse motivo, o plano de marketing deve ser preparado com muito cuidado. Caso contrário, a sua estratégia pode resultar em desperdício financeiro e causar um impacto negativo no consumidor.

Pensando nisso, nós preparamos um passo a passo para você começar a elaborar o seu planejamento anual, com alguns exemplos práticos e insights valiosos. Acompanhe:

1 – Leve o perfil do cliente em consideração

Antes de definir objetivos, orçamentos e elaborar estratégias para o seu planejamento de marketing, é importante mapear o perfil do seu público-alvo, pois ele é o personagem principal dessa história toda. Certamente você já tem esses dados prontos, basta adicioná-los ao plano.

Priorize as informações mais relevantes, como idade, sexo, localização geográfica, preferências, histórico de compras, entre outros que considerar interessante. Quanto mais você souber sobre o seu público, mais será fácil conquistá-lo.

2 – Defina os objetivos da sua estratégia

O que você pretende conseguir quando colocar o seu plano em prática: aumentar a sua participação no mercado, criar mais engajamento com a marca, aumentar as vendas? Definir os objetivos da sua estratégia é uma das etapas essenciais do planejamento, pois todas as ações são pensadas com base nos resultados que você deseja atingir.

Por exemplo, vamos supor que o seu principal objetivo é aumentar as vendas. Nesse caso, você pode considerar as seguintes ações:

  • aumentar a popularidade da sua marca entre o público X;

  • expandir as ações de marketing digital;

  • melhorar o relacionamento com os clientes;

  • revitalizar o atendimento nos pontos de venda.

3 – Estipule metas alcançáveis com base na situação real

Depois de definir os objetivos, o momento é oportuno para traçar as metas. Para isso, você vai precisar consultar relatórios que apontem as estatísticas de desempenho das vendas passadas. Se o objetivo é vender mais, quanto é, exatamente, esse “mais”?

Leve em consideração o material que você tem no estoque ou pretende adquirir para suprir a demanda. Também é fundamental analisar o seu sistema de logística e entrega, para garantir que a sua meta seja realista e alcançável.

É interessante que você seja bem específico com outras metas futuras, como: converter X visitantes em leads, conseguir X acessos em dois meses etc.

4 – Faça o orçamento das despesas do marketing para varejo

Muitas empresas costumam cortar o orçamento de marketing sempre que uma crise se manifesta. Acontece que isso é um erro, pois as pessoas não param de comprar: elas se tornam mais seletivas. Nesse cenário, só vai vender bem quem investir em ações para fidelizar o cliente.

Por isso, crie um fundo de reserva para suas campanhas e defina o valor do orçamento que será investido em cada projeto separadamente. Lembre-se de que isso é essencial para o crescimento e a sobrevivência do seu negócio.

5 – Use a criatividade para desenvolver ações estratégicas

Essa é o momento de desenvolver as ações de forma que elas estejam alinhadas com objetivos, metas, público-alvo e orçamento. Um planejamento que tem como objetivo aumentar as vendas pode desenvolver diversas atividades para alcançar esse resultado. Vamos ilustrar com alguns exemplos:

Diversificar o mix de produtos

Perceba que um aspecto precisa do outro: se você diversificar o mix de produtos mas não investir em marketing, quem vai comprar? O contrário também é válido: o que esperar de uma campanha de marketing matadora, se os pontos de venda estão sem nenhuma novidade para oferecer?

Portanto, fique antenado com as tendências e atualize seu estoque para atrair a demanda. Cuidado também com aqueles produtos da moda que possuem vida sazonal. É sempre bom evitar compras desnecessárias para não ficar com mercadoria parada no estoque.

Investir em marketing digital

A sua empresa deve se manter sempre em evidência na internet. Afinal, nos dias de hoje, quem não tem um celular conectado à grande rede? O melhor lugar para você estar é onde o seu público está.

Se o seu negócio já possui um blog e perfis nas redes sociais mais populares, é hora de você avaliar o desempenho dos indicadores, como quantidade de acessos, seguidores, e compartilhamentos. Se for o caso, você vai precisar investir em produção de conteúdo relevante para aumentar o engajamento com seus clientes.

Oferecer cartão presente pré-pago ou o famoso vale presente

Todo mundo vivencia diversas situações em que precisa presentear outra pessoa. Um dos problemas é tempo para visitar as lojas e fazer a melhor opção. Para facilitar a vida desse cliente, a ideia é oferecer cartões presente pré-pagos que funcionam como vale-presente.

Dessa forma, além de resolver um problema do cliente, que estava com pouco tempo e não sabia o que presentear, você vai receber outros consumidores na sua loja. O fluxo de pessoas vai aumentar e as vendas também. Afinal, visitantes se transformam em clientes.

6 – Escolha os indicadores

A escolha dos indicadores também é uma etapa importante, pois é preciso saber de que maneira acompanhar e fazer uma avaliação precisa das ações colocadas no planejamento.

Utilize aqueles considerados mais apropriados para apresentar os resultados de acordo com os objetivos propostos. Por exemplo: número de vendas por produto, conversões de leads em clientes, taxa de abertura de e-mail marketing, links mais acessados, entre outros.

7 – Monitore os resultados em tempo hábil

Considere a sua estratégia de marketing como uma ciência: estude, analise, faça testes, comprove, promova mudanças e mude o foco, se for necessário. Jamais dê o ponto de partida e fique esperando para ver o resultado.

É preciso acompanhar os indicadores para saber o que está dando certo e o que precisa melhorar. Se você monitorar os resultados vai conseguir evitar problemas, retrabalho e desperdícios. Além disso, esse recurso permite uma visão abrangente de onde você está e de aonde quer chegar.

Como você viu, o marketing para varejo não é uma ação apenas para vender produtos, mas uma forma de pensar e criar soluções práticas para atender às expectativas do seu público.

Gostou das dicas? Aproveite para ler também: como aproveitar melhor o frente de caixa da sua loja para vender mais?

 

Entenda como o cartão pré-pago irá mudar o mindset do varejo!

O cartão presente pré-pago vem, pouco a pouco, dissolvendo percepções equivocadas a seu respeito e mostrando que podem ser uma ótima oportunidade para marcas que desejam se destacar no mercado.

Basta perceber como empresas de destaque vem passando a utilizá-lo como uma alternativa para garantir maiores e melhores vendas, como a Netflix, as lojas Marisa, Nextel e a rede de supermercados Pão de Açúcar.

Já falamos aqui no blog sobre algumas tendências do varejo mundial para ficar de olho. No artigo de hoje, vamos falar sobre algo um pouco mais específico, o mindset no varejo. Explicaremos esse conceito e como ele pode ser influenciado de forma positiva a partir do uso dos cartões presente pré-pagos no varejo, inclusive ajudando a fortalecer a presença de uma marca.

Quer saber como aproveitar essa nova tendência? Basta continuar a leitura!

O que é mindset?

Para podermos começar o artigo, é fundamental explicar o conceito de mindset. O termo, de origem inglesa, é a união das palavras mind (mente) e set (que aqui pode ser traduzido como formato). Ele representa, então, a maneira de uma pessoa pensar e suas opiniões, criadas a partir de experiências passadas.

Esse mindset é uma ferramenta valiosa para todos nós. Se uma pessoa já quase foi atropelada ao atravessar fora da faixa e com sinal vermelho, nossa mente vai se configurar — a partir dessa experiência — para considerar apenas as alternativas mais seguras para atravessar a rua, para evitar perigos futuros.

Ele também vai ajudar a interpretar o que vai acontecendo à nossa volta: uma mente configurada para evitar o atropelamento na rua vai diretamente procurar por faixas de pedestres, esperar o sinal verde, olhar para os dois lados antes de atravessar e deixar de considerar espaços e momentos que impeçam a travessia sem segurança.

Influência do mindset no varejo

Só que você pode estar se perguntando qual a influência desse conceito para a sua empresa. A importância do mindset, para o mundo dos negócios, está justamente no poder que essa formatação da mente de um indivíduo — ou mesmo de todo um público — pode ter sobre a experiência junto a uma marca.

Por exemplo: considere uma pessoa deseja comprar um carro, depois de muito tempo juntando dinheiro. Na hora de escolher, antes mesmo de fazer a pesquisa para eleger marcas e modelos, ela quase que automaticamente acessa seu histórico relacionado a automóveis: problemas, opiniões de amigos e familiares, tudo aquilo que ouviu e marcou. E só a partir dessa base é que vai começar a buscar modelos e marcas possíveis para eleger seu companheiro de quatro rodas.

Na prática, o exemplo acima ilustra o poder do mindset no varejo: se uma empresa não consegue, efetivamente, estabelecer sua marca junto ao seu público-alvo e personas, ela nem chega a ser considerada. Ou seja, ele pode ter influência positiva (alvo de quem quer crescer) ou negativa sobre as suas chances de fechar negócios.

Só que se engana quem pensa que o mindset no varejo é um conceito apenas definido pelo seu público-alvo. Cada empresa e marca tem papel fundamental para construir e garantir percepções positivas por parte de seus possíveis consumidores.

É preciso ter sempre uma estratégia atualizada e forte, valendo-se das novidades que o mercado lança, para garantir que a configuração do pensamento das suas personas esteja sempre a seu favor. Como? Veremos uma ótima possibilidade a seguir:

A relação entre mindset e o cartão presente pré-pago

Falamos acima sobre o papel ativo de uma empresa para ajudar a estabelecer o mindset no varejo a favor da sua marca. E como o cartão presente pré-pago se encaixa nesse cenário? Os cartões pré-pagos representam um universo de possibilidades, entre as quais destacamos:

  • Aumento de visibilidade de marca – a marca que não é vista é facilmente esquecida, principalmente em um universo em que somos constantemente bombardeados por informações e propaganda nos universos real e digital;

  • Ampliação da oferta de produtos e/ou serviços – muitas empresas encontram dificuldades em criar oportunidades para atrair seus consumidores, às vezes pelo tamanho ou pelo tipo de negócio. Os cartões pré-pagos podem ajudar empresas a vender mais podendo ser oferecidos nos mais diversos estabelecimentos, entre mercados, lojas e drogarias;

  • Melhoria da experiência de compra – o público consumidor, em geral, não quer perder tempo para encontrar o que precisa, ou ter que fazer esforços para efetivar a compra. Os cartões pré-pagos permitem uma maior facilidade e comodidade na hora de satisfazer as vontades e necessidades do seu cliente.

Apenas a partir das possibilidades acima, já fica bem claro os benefícios do cartão pré-pago para revolucionar o mindset no varejo e ajudar uma empresa a se destacar e conquistar mais vendas.

E o melhor é que, por meio dessa possibilidade, todos os envolvidos saem ganhando: o público tem maior e mais fácil acesso ao que deseja, as empresas aumentam sua presença no mercado e os parceiros conseguem oferecer mais produtos.

Uma alternativa: cartão presente pré-pago com marca própria

E se estamos falando em revolução para ajudar a estabelecer e fortalecer uma marca, o investimento em cartão pré-pago com marca própria do varejo pode ser um valioso diferencial: quando um cliente usa o cartão da sua marca, há uma mudança de percepção sobre o que é e o que não é caro.

Como assim? É bem simples: ao mostrar a preocupação em estar presente de forma simples e rápida junto ao seu público, oferecendo uma solução prática, uma marca conquista mais valor para seus produtos e serviços, que acabam estando mais dispostos em comprar e se fidelizar. Isso, principalmente em tempos de incertezas econômicas, acaba sendo fundamental para garantir o sucesso.

E se você ficou interessado no poder que o cartão pré-pago tem no mindset no varejo, entre em contato com os nossos executivos e conheça mais. 

 

5 ações para aumentar a rentabilidade do varejo

Os últimos anos tem sido difíceis para trazer otimismo em relação ao aumento da rentabilidade do varejo no Brasil. O mau momento econômico ainda gera insegurança, mas isso não quer dizer que as soluções não devam ser buscadas e implementadas para as empresas, ao menos, reduzirem os impactos da crise.

Diante desse cenário, resolvemos trazer 5 ações que poderão fazer sua empresa gerar mais vendas e receitas durante essa fase de instabilidade econômica. Acompanhe!

1. Diversificar o seu mix de produtos

Apostar em aumentar a variedade do seu mix de produtos pode ser um caminho interessante para atrair novas demandas em seus estabelecimentos e aumentar a rentabilização do varejo. Você pode investir na inclusão de novas categorias de ofertas, linhas premium e/ou de marcas mais baratas. A ideia é gerar ganhos com o crescimento do ticket médio ou do volume de saídas.

Para isso, é importante estudar os hábitos de compra e o que mudou no comportamento do seu consumidor durante a crise. Assim, será possível entender se os clientes estão buscando mais qualidade, comodidade, variedade, novidade ou preço baixo, por exemplo.

2. Eliminar os excessos de estoque

Os dois principais passos para evitar os excessos de estoque são planejar e organizar melhor seus processos de logística. A ideia é trabalhar com a previsibilidade de demanda, tendo como base os dados de venda das suas ofertas, os históricos de compra do seu público e considerando as sazonalidades. Dessa maneira, sua empresa poderá reduzir custos e eliminar os gargalos na entrada e saída de produtos.

Antecipar a demanda é relevante, por exemplo, para diminuir os riscos de adquirir um volume muito alto de mercadorias com baixa ou nenhuma saída

3. Resolver falhas no abastecimento

Esse tópico basicamente se trata do inverso ao problema anterior: a falta de produtos no estoque. Isso também é causado por falta de planejamento e previsão de demanda, pois não são calculadas as chances de um determinado produto vender mais durante um certo período. A falta de mercadorias armazenadas tem um impacto direto no consumidor, que pode não encontrar o que procura ou o que é anunciado em suas lojas.

Além da questão dos estudos sobre a demanda, é válido estreitar as relações com os seus fornecedores. Em tempos de crise, é até comum que a indústria aumente os valores de suas matérias-primas. Para que isso não prejudique sua margem de lucro ou recaia sobre o que é cobrado ao consumidor final, deve-se buscar negociações nas quais os preços com os fornecedores sejam reduzidos. É um dos únicos modos de preservar sua margem e manter preços competitivos.

4. Investir em promoções

As promoções são estratégias que quase sempre funcionaram bem no varejo. O uso de descontos, brindes e sorteios costumam atrair bastante a atenção e os gastos do público. Contudo, esses são recursos que não devem ser usados o tempo todo, pois os consumidores podem se acostumar mal.

Muitos clientes podem acabar criando vínculos com sua marca em função das promoções e dos preços baixos. A propósito, eles podem acreditar que o preço menor é o padrão. São situações que põem em risco a atratividade da sua empresa, especialmente quando não estiver fazendo alguma promoção. Portanto, procure manter um espaçamento entre as ações promocionais, principalmente aproveitando datas comemorativas.

5. Faça programas de fidelização

As estratégias para manter seus clientes comprando são eficientes porque reduzem os gastos para trazer novos compradores e garantem a entrada de receitas em médio e longo prazo. Por isso, é importantíssimo investir em ações que assegurem uma relação próxima com esses consumidores após suas primeiras compras. Entre as táticas, pode-se aplicar:

  • Envio de ofertas e promoções exclusivas via e-mail;

  • Criação de programas de pontos;

  • Compartilhamento de conteúdo com dicas para os clientes aproveitarem melhor as compras;

  • Ofertas de cartões presente nos aniversários ou em datas comemorativas.

Para aumentar a rentabilização do varejo nessa crise econômica, deve-se apostar em medidas que atraiam mais consumidores às suas lojas, tornem sua logística mais inteligente, reduzam os custos e fidelizem os atuais clientes.

Uma solução inovadora e que cumpre bem esses objetivos é o cartão presente, logo, aconselhamos que você confira nosso artigo com 4 razões para oferecer cartão presente no varejo!