Como mensurar a fidelização de clientes no varejo?

É inegável que estratégias que buscam a fidelização de clientes sejam essenciais para o sucesso de um negócio. Consumidores fiéis compram mais, fazem propaganda gratuita e diminuem o custo de aquisição de clientes. E estas são apenas algumas das vantagens que se pode identificar nesta estratégia.

Então, como mensurar a fidelização de clientes em negócios em que a maior parte das etapas dr compra é feita por cada um deles? Esta é a realidade de lojas com autoatendimento e de varejo que atuam em larga escala.

Continue lendo para descobrir esta resposta e também dissecar o conceito de fidelização de clientes que revolucionará sua visão sobre a experiência de compra dos seus consumidores.

Razões que tornam um cliente fiel à loja

Para mensurar a fidelização de um cliente, é preciso primeiro saber o motivo da preferência dele por determinada loja ou produto.

Clientes podem ser fiéis a uma loja por sua localização, especialidade em determinado produto ou porque ela proporciona uma experiência de compra prazerosa e completa.

Para as razões estruturais ligadas fundamentalmente aos 4 Ps do marketing, pesquisas de satisfação podem ajudar a mapear as características que fidelizam o cliente.

Mas para as outras razões de ordem emocional, a análise precisa ser feita com outro viés. Uma boa solução seria a pergunta decisiva, proposta por Frederick Reichheld no livro “The Ultimate Question”, pois com ela seria possível quantificar o sentimento de satisfação do cliente.

A pergunta decisiva e o Net Promoter Score

“Em uma escala de 0 a 10, quão disposto você se sente em recomendar nossa loja para seus amigos?”.

Aplicar um questionário eletrônico com esta simples pergunta ao final de uma venda permite que a empresa classifique o nível de fidelização dos clientes em uma escala, o Net Promoter Score.

Os clientes que dão nota entre 0 e 6 são considerados desertores, aqueles que informam nota 7 ou 8 são classificados como passivamente satisfeitos e, por último, aqueles que dão notas 9 ou 10 são considerados promotores.

Um alto volume de clientes passivamente satisfeitos pode sugerir que a fidelização deles esteja relacionada às razões estruturais, seja o preço ou localidade privilegiada. Já os promotores podem ser relacionados às duas principais razões e, por isso, quanto maior o volume deles, melhor será o índice de retenção de clientes.

Estratégias comerciais para fidelização de clientes

Diversas estratégias de vendas estão ligadas à fidelização de clientes e sempre remetem às razões pelas quais eles estão comprometidos com a loja.

Por isso, a importância de conhecer o perfil dos consumidores e criar estratégias que atendam às suas necessidades.

Upselling e Cross selling

Oferecer versões melhoradas ou outros produtos que complementem a experiência do cliente com o produto é uma forma de gerar novas vendas, ao mesmo tempo em que conquista a simpatia do cliente.

Quando corretamente realizadas, as vendas de Upselling e cross selling demonstram o caráter consultivo da venda, onde a loja deseja que o cliente seja plenamente atendido pelo seu produto.

Atendimento ao cliente com excelência

Outra estratégia para fidelização de clientes é o investimento em treinamentos, processos e informações que possam melhorar o atendimento ao cliente.

Usando softwares de gestão de clientes e outras ferramentas inovadoras é possível personalizar o atendimento e encantar o cliente com a antecipação de suas necessidades.

Marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo tem grandes retornos de fidelização dos consumidores, pois foca seus esforços em educar o cliente sobre determinado produto ou serviço.

Seu funil de vendas conduz o cliente da atração, consideração e entendimento da necessidade para a derradeira concretização da venda. Ele, dessa forma, confiará muito mais na empresa por sua autoridade no assunto e também respeito ao tempo de decisão.

Eficiência dos clubes de benefícios

Também considerados como estratégias comerciais que fidelizam a clientela de um varejo, os clubes de benefícios e vantagens merecem um capítulo à parte.

Sua estratégia é ainda mais completa, pois além de incentivar a preferência pelo consumo na loja, também permite diversificar e ofertar outros produtos que o cliente não consumia antes.

Para criar um modelo de benefícios com foco na fidelização de clientes, cupons promocionais e cartões presentes são excelentes ferramentas. Quer saber mais sobre eles e suas funcionalidades inovadoras? Então, curta a página da epay no Facebook!

Como diversificar o mix de produtos no varejo sem investir muito

Atualmente, ter um bom preço a oferecer não é o suficiente para o sucesso nas vendas. Do mesmo modo, no que diz respeito à satisfação e retenção dos clientes, tão importante quanto o atendimento é o mix de produtos que um varejo apresenta.

Empresas que possuem um mix muito limitado podem perder em volume de vendas e no retorno de alguns clientes, que buscam outros lugares com maior oferta de itens.

No post de hoje, vamos falar sobre a importância de diversificar o mix de produtos no varejo e como isso pode ser feito sem que, necessariamente, seja preciso investir muito. Confira:

Qual é a importância de diversificar o mix de produtos?

Principalmente no varejo, a variedade do mix de produtos é importante devido a vários fatores. Dentre os principais, podemos citar:

Aumento do ticket de vendas

Além de comprar o necessário, o cliente acaba tendo uma grande variedade de outros itens à disposição. Isso pode fazer com que ele se lembre de algo que precisava comprar ou então decide comprar mais alguma coisa só pelo fato de saber que ela está disponível naquele momento.

Dessa forma, uma das principais vantagens — e importância — da variedade do mix de produtos é elevar o ticket de vendas, que, por consequência, aumenta o faturamento da empresa.

Maior lucratividade

Aumentar o mix de produtos, principalmente com itens que possuem uma boa margem de lucro, contribui para que a lucratividade também seja aumentada.

Aumento da satisfação dos clientes

Oferecer uma grande variedade de produtos — que também possuem preços variados dentro de suas categorias — ajuda a fazer com que eles se sintam cada vez mais satisfeitos com a oferta.

Dessa forma, é bem provável que ele consiga satisfazer suas necessidades de compra no mesmo local, com faixas de preço variadas, contribuindo para a fidelização e retenção desse cliente.

Como diversificar o mix no varejo sem investir muito?

Algumas ações simples, de baixo custo, podem ser adotadas na hora de diversificar o mix de produtos ofertados no seu empreendimento. Veja, a seguir, algumas delas:

Oferta de recarga de celular

A recarga de celular é um serviço bastante procurado — principalmente em razão daquelas que utilizam smartphones e desejam manter o pacote de dados ativos.

Dessa forma, o cliente pode até entrar na sua loja procurando apenas pela recarga de celular a princípio, no entanto, ao ver a quantidade de produtos que você oferece, pode se interessar por algum outro item, aumentando o ticket médio de vendas.

Vale presente

Nesse caso, é possível oferecer o vale presente tanto da marca própria, quanto de conteúdos diversos — com a vantagem de necessitar de baixo investimento para deixar essa estratégia disponível no seu negócio.

Assim como no caso da recarga de celulares, o vale presente pode contribuir com o aumento do ticket de vendas, uma vez que o cliente que vai realizar a troca pode acabar se interessando por outros produtos disponíveis. Além disso, alcança novos clientes, que também podem se interessar e se tornar um cliente da sua loja.

Cupom promocional

A ideia é parecida com a do vale presente. Aumentar o portfólio de produtos e alcançar novos clientes, além de buscar aumentar o ticket médio de vendas da empresa.

Treinamento da equipe de vendedores

Esbanjar um mix de produtos diversificados e bem planejados não adianta de nada se a equipe de vendedores não estiver devidamente preparada para interagir com os clientes.

Contar com colaboradores que não conhecem o perfil da loja, ou que não sabem apresentar os produtos pode fadar o negócio ao fracasso.

Por isso, a empresa deve oferecer treinamentos e capacitações, não somente na fase inicial de admissão do vendedor, mas sempre que houver uma mudança de coleção ou um aumento do mix de produtos.

Adequação às necessidades do cliente

É importante ter em mente que o aumento do mix de produtos no varejo deve levar em consideração as necessidades do cliente, e não a ocupação de espaços nas prateleiras.

Assim sendo, antes de determinar os produtos que serão comercializados, é preciso se assegurar que o preço está bom para os consumidores, e se existe, de fato, demanda para as novas opções de produtos lançadas no mercado.

Parcerias com fornecedores

Qualquer comércio deve ter fornecedores em que possa confiar, e isso é especialmente importante ao se diversificar a oferta de produtos.

Para garantir que o mix de produtos tenha qualidade e não deixe o consumidor a desejar, é preciso investir nas relações com os fornecedores, criando uma relação de genuína parceria.

Com isso, o fabricante ou produtor, em vez de se preocupar apenas com o seu sucesso, estará empenhado no êxito do lojista, tendo em vista a relação “ganha-ganha” que foi estabelecida.

Gestão de estoque

A gestão de estoque, talvez, seja a parte mais difícil quando se fala em diversificar o mix de produtos no varejo.

É importante substituir todos aqueles itens que apresentam pouca saída, que não oferecem muita procura, ou aqueles completamente parados no estoque.

Um bom levantamento é indispensável para identificar quais os produtos e marcas são mais aceitos pelos clientes e, principalmente, quais estão mais alinhados com a filosofia do estabelecimento

Esse último aspecto é muito importante, afinal, não se deve mover esforços a fim de atrair um público que não agregará valor ao negócio.

Ainda quando se trata da gestão de estoque é preciso estar atento aos custos, pois um grande volume de produtos tende a causar um aumento significativo nas despesas da empresa.

É por isso que o equilíbrio é uma palavra-chave, ou seja, a companhia deve evitar ao máximo manter um estoque muito grande por um longo período. O ideal é realizar a análise de quais são os produtos mais vendidos e aqueles cujo lucro não justifica custos envolvidos.

Enfim, como regra, a estratégia básica deve ser a de focar nos produtos de maior aceitação por parte dos consumidores.

Desse modo, além do aumento nas vendas, a tendência é que os clientes certos — atraídos pelos produtos certos — farão mais compras, seduzidos pela gama de produtos já consomem ou que podem passar a consumir.

Como podemos ver, é possível diversificar o mix de produtos do varejo sem que para isso seja necessário investir uma grande quantidade de dinheiro. Além disso, essa ação possui um impacto considerável em termos de faturamento e contribui para que os resultados sejam alavancados.

O que achou desse post? Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco e fique por dentro das soluções que temos a oferecer!

Big data marketing: 6 dicas para vender mais analisando os dados

O padrão de consumo mudou completamente nos últimos anos. Ao mesmo tempo em que o cliente se tornou mais exigente e participativo ao longo desse processo, a internet também permitiu que as empresas tivessem acesso a um número imenso de informações, de forma a traçar estratégias mais eficientes e bem direcionadas. E é exatamente nesse contexto que o Big Data marketing pode ser útil.

Isso ocorre justamente ajudando a criar campanhas mais segmentadas, direcionadas e até menos dispendiosas. Quer entender um pouco mais sobre o big data marketing e conhecer 6 dicas para vender mais analisando dados? Então, confira o conteúdo que preparamos para você:

O que é big data marketing?

Podemos entender o big data como o grande volume de dados que os compradores ou clientes em potencial deixam em sua experiência de compras ou até mesmo apenas na sua navegação no site de vendas.

Para as empresas, o big data pode ser entendido como uma tremenda revolução, comparável com a popularização da internet. O emprego adequado dele permite lidar com informações num volume nunca antes visto, com variedade e velocidade inéditas até hoje.

Na prática, essa tecnologia permite analisar qualquer tipo de elemento digital em tempo real, ajudando na tomada de decisões — inclusive para a equipe de marketing.

São exemplos de big data o histórico de compras nos e-commerces ou lojas físicas, detalhes como idade, gênero e escolaridade ou até informações de geolocalização, que podem ficar armazenadas em plataformas, sistemas e data centers.

Para utilizar isso na prática, as corporações precisam contar com ferramentas para compilar resultados, identificar tendências e traçar estratégias para conquistar o seu público-alvo.

Dicas para usar o big data marketing

1 – Criação de campanhas segmentadas

O histórico de compras dos seus clientes pode ser uma fonte essencial de informações para sua equipe de marketing.

Afinal, esses dados mostram as preferências daquele consumidor e possibilitam, por exemplo, a criação de uma estratégia de e-mail marketing altamente específica, o que pode ser fundamental para conseguir mais negócios e superar os tempos de crise.

Estudar e compreender o comportamento dos compradores facilita a prospecção, minimiza as chances de erros e dá subsídios estratégicos até para sua equipe de vendas.

2 – Realinhamento de estratégias

As informações de big data também podem ser muito úteis para que os gestores descubram quais campanhas de marketing estão dando certo e quais estão deixando a desejar. É possível até descobrir e compilar como os clientes chegaram até o seu site e, então, otimizar suas estratégias para atender melhor às expectativas dos compradores.

Uma boa análise de big data pode ser fortemente relacionada ao aumento das vendas: os dados fornecem os caminhos e os empresários inteligentes o seguem!

3 – Criação de cupons personalizados

A criação de cupons de desconto altamente personalizados pode ser uma boa ideia para tornar sua empresa uma máquina de vendas. Com os dados obtidos com o big data, você pode relacionar cada pessoa aos seus produtos favoritos ou mais frequentemente adquiridos.

E, com a promoção certa, você pode manter os clientes mais tempo ao seu lado, além de ter muito mais chances de recuperar fregueses que estavam afastados da sua marca.

Isso também pode auxiliar na regularização dos estoques: que tal cruzar os dados e oferecer bons preços para mercadorias que estão em excesso, mas que sejam relacionadas com as preferências de determinados consumidores?

4 – Compreensão do comportamento do consumidor

Saber como o consumidor age e pensa sempre garante vantagens competitivas, seja qual for o seu nicho de atuação. Nesse contexto, é imprescindível que se pesquise para ter maior conhecimento a respeito da mente de seu público-alvo.

Big data marketing pode ajudar você nesse sentido, pois é um processo capaz de reunir as informações coletadas, categorizá-las e organizá-las, para que você as leia e analise com muito mais rapidez e praticidade.

Isso, certamente, beneficiará o seu negócio, à medida que será possível criar estratégias muito mais assertivas e eficazes para, de fato, atrair, converter e fidelizar seus clientes-alvo.

5 – Uso de Redes Sociais

As redes sociais podem ser grandes veículos para que você utilize big data marketing para encontrar seu público-alvo. Afinal, é por meio das redes sociais que seus clientes mostram o que gostam, o que rejeitam em marcas e produtos. Manifestam também a opinião sobre a sua marca e contribuem, desse modo, que você possa melhorar seu produto e/ou serviço.

Além disso, é possível fazer pesquisas de opinião, testes A/B com peças, sugerir promoções, solicitar compartilhamento com amigos e seguidores, e se relacionar com o seu público. Se for feito do modo mais estratégico possível, tudo isso pode trazer dividendos para a empresa.

6 – Análise de concorrentes

O big data marketing também ajuda nos casos em que você estiver em busca de benchmarking. Isso porque todas as informações que forem inseridas nesse processo estarão compactadas e poderão ser analisadas e utilizadas por todos os membros de sua equipe, no sentido de um bom comparativo sobre o que as outras marcas fazem em seu dia a dia e o que a sua própria empresa vem construindo.

A partir daí, você pode aprender com os erros e falhas dos concorrentes. Isso representa um ganho de qualidade para você, afinal todos os testes que essas empresas realizaram para chegar ao fim da jornada do cliente já trouxe muitos problemas de falta de material.

E imagine só como é fantástico: você vai aprender com os erros das empresas, que tiveram de investir muito tempo e dinheiro pra chegar ao resultado planejado. Você poderá ter esse tipo de dado com muito menos investimento, em um período muito menor de tempo, e assim por diante.

Se você utiliza Big Data marketing, já tem plena consciência de como lançar um produto no mercado que gerará boas vendas, consegue “falar a língua” de seu público-alvo, entre outros benefícios incríveis que melhoram resultados.

Descobriu como vender mais usando o Big data marketing? Analise os dados e traga um tremendo diferencial para sua empresa!

Quer ficar sempre por dentro das nossas dicas e novidades? Então, assine agora a nossa newsletter!

Cupom de desconto: como usar esse item em datas comemorativas?

As datas comemorativas, como dia das mães, Black Friday e Natal, são momentos nos quais os consumidores normalmente se dispõem mais a comprar. Por isso, a preparação para os varejistas é diferente nessas ocasiões, visto que envolve mudanças no estoque, no horário de funcionamento e nas estratégias de marketing e vendas. Aliás, uma dessas ações que abordaremos, neste texto, é o uso do cupom de desconto.

A tática pode até não ser das mais novas, mas continua funcionando muito bem, afinal, qual consumidor não gosta de descontos?

Outra vantagem é que o cupom é customizável e, por não ser usado com muita frequência por uma loja, passa a ser facilmente associado com a data comemorativa em questão, ou seja, o cliente percebe que há um real desconto sendo ofertado.

Nas próximas linhas, vamos focar nas maneiras de uso do cupom de desconto em datas especiais e falaremos de mais alguns benefícios entre essas práticas. Acompanhe e veja como aumentar as suas vendas!

Envie para os seus leads

Os potenciais clientes são os principais alvos nesse tipo de ação. Muitas vezes, eles estão precisando justamente daquele “empurrãozinho” para tomar uma decisão favorável à sua loja, e o cupom de desconto pode ser o gatilho para isso.

Portanto, aproveite a proximidade de um e-mail ou de um SMS com esses contatos e encaminhe um código promocional para ser trocado na loja física ou virtual (se houver).

Mas lembre-se: se quiser melhorar suas taxas de conversão com esse tipo de ação, trate de enviar somente cupons de produtos do interesse do lead.

Dispare cupons exclusivos para clientes

Quem já é um cliente da loja também pode se beneficiar com os descontos. A ideia, aqui, é oferecer descontos específicos para esse grupo, até para demonstrar um senso de exclusividade, de privilégio para quem já comprou ou continua comprando em sua empresa.

Você pode aproveitar os dados cadastrais desse público para enviar, por exemplo, descontos nas datas de aniversário dos clientes. Esse tipo de uso é uma das formas de fidelizar os consumidores por meio dos cupons.

E para a sua loja, é a chance de aumentar as taxas de upsell, cross-sell e de aquisições recorrentes.

Envie um cupom de desconto como recompensa

O disparo de cupons também pode ser associado ao cumprimento de metas. Em programas de indicação, por exemplo, o cupom é uma das possíveis recompensas para clientes que indicaram um número X de novos compradores ou após fazer N compras na loja durante ano.

Quando chegar a data comemorativa, basta selecionar os consumidores que cumprirem esses requisitos em seu banco de dados e enviar os códigos promocionais a eles. É mais uma das maneiras de encantar e reter os compradores.

Lembre-se de criar um regulamento para os programas de indicação e deixar os consumidores cientes do que precisam fazer para conquistar tais recompensas.

Divulgue os cupons nas redes sociais

Seus cupons podem até serem incríveis, mas pouco surtirão efeito se não forem conhecidos. Logo, é muito importante divulgá-los em seus canais de relacionamento. Além do e-mail ou SMS, use bastante suas redes sociais, como Facebook, Twitter e Instagram, para oferecer esse mimo aos seus seguidores.

É importante ser criativo e/ou tentar tirar alguma vantagem desse tipo de ação. Por exemplo, em vez de dar de cara o código em um post temático, você pode compartilhar um link do seu site com uma caixa para o visitante preencher com o seu e-mail em troca do cupom.

A criatividade pode vir em ações no Snapchat, pois como as mensagens, nessa plataforma, tem uma vida curta, alguns cupons “relâmpagos” podem ser enviados aos seguidores nas datas comemorativas.

Em suma, o cupom de desconto representa uma boa oportunidade não só de aumentar e acelerar as vendas em datas especiais, como também atrair novos e reter os atuais compradores. É uma ferramenta versátil, simples e que gera bons resultados entre os seguidores, leads e clientes da sua loja.

E aí, viu como o cupom de desconto pode ser uma das suas armas para alavancar as vendas em datas comemorativas? Então, se você gostou deste texto, assine a nossa newsletter para acompanhar nossos conteúdos em seu e-mail!

6 dicas para elaborar promoções para crianças no Natal

O Natal é, das datas comemorativas, a mais mágica para os pequenos. Só que sua loja precisa ter atenção para poder aproveitar ao máximo essa época pra conquistar os clientes e aumentar as vendas.

Se você quer saber como elaborar promoções para crianças no seu estabelecimento e lucrar nesse fim de ano, não deixe de conferir as nossas dicas!

1 – Lembre-se do seu público final

O foco aqui são as promoções para crianças, ou seja, os pequenos devem ser o seu principal foco. São eles que têm suas listas de desejos e presentes específicos a serem escolhidos.

Por isso, dê atenção ao visual da loja ou e-commerce. A dica é ter uma decoração (no PDV ou ponto de venda) ou layout (para lojas virtuais) que encha os olhos dos pequenos — lembrando das faixas etárias para não ficar infantil demais. Mas também cuidado na hora de expor os produtos no PDV: procure fazer uma seleção que esteja à altura do olhar e das mãos deles.

2 – Não esqueça dos adultos

Mas por mais que o público final seja uma criança, quem vai comprar é o adulto, na maioria das vezes. Então, não dá para esquecê-los. Portanto, crie etiquetas claras de cada produto, já com informações que os atraiam para fechar negócio (descontos, meios de pagamento e afins).

Também lembre-se de anunciar suas promoções e suas facilidades. Pode ser num hotsite, nas redes sociais, na vitrine — o importante é ficar claro tudo aquilo que você oferece e porque os pais devem escolher seu estabelecimento dentre tantos outros.

3 – Tecnologia também pode ser brinquedo

Hoje em dia, a tecnologia também pode ser aliada nas promoções para crianças. Seja na oferta de produtos tecnológicos voltados para os pequenos (como tablets e computadores), como na sua estratégia de venda.

Que tal inovar? Você pode criar um joguinho exclusivo com a sua marca e oferecer como presente para clientes, liberado para quem comprar acima de um determinado valor. Ou oferecer cartões-presente em concursos na internet ou em redes sociais. O importante é fazer com que crianças e adultos se divirtam e aproveitem!

4 – Cupons promocionais – agradando quem presenteia

Uma boa estratégia de promoções para crianças nesse Natal está em oferecer descontos para que os pais presenteiem seus pequenos. Lembre-se de mandar uma boa campanha de e-mail marketing para eles informando sobre seus produtos, descontos e dizer que tem um cupom promocional de presente para ele na sua loja.

5 – Cartão-presente: liberdade para o presenteado

O cartão-presente tem conquistado cada vez mais varejistas e é outra dica útil para inovar. Com ele, você consegue oferecer uma ajuda para quem precisa presentear um pequeno, mas não sabe o que escolher. Nós temos um artigo especial para você conhecer mais sobre ele aqui.

6 – Não esqueça das vendas adicionais

A última dica é lembrar que muitos produtos infantis vêm com diferentes opções e complementos opcionais.

Você pode criar kits de produtos que estimulem as vendas adicionais, oferecendo descontos e facilidades. Com isso, você aumenta não apenas o número de pedidos nesse Natal a partir dessas promoções para crianças, mas também o ticket médio.

E, então, o que achou das nossas dicas para elaborar promoções para crianças no Natal e aproveitar essa época para vender muito? E para ter fácil acesso a outros artigos e materiais, não deixe de seguir a epay no Facebook!

6 ações simples para aumentar o ticket médio de sua loja

Mesmo que a sua loja já tenha uma clientela e você invista em ações e campanhas para aumentar as vendas, existem períodos em que o faturamento fica estagnado. E, ao pesquisar, você percebe que o ticket médio de vendas está abaixo do desejado.

O que fazer para incentivar que seus clientes comprem mais no seu estabelecimento? Nesse artigo oferecemos algumas dicas de ações simples e práticas para ajudá-lo. Confira:

Qual o seu ticket médio?

Você sabe qual a média de gastos por cliente na sua loja em um mês? Basta usar a fórmula:

TICKET MÉDIO = número de vendas no período X / número de pedidos no período X

Simples de obter, esse número é bem importante para o seu negócio. Afinal de contas, ele é um sólido indicador do rendimento do seu estabelecimento. E já que obter clientes novos é mais caro do que realizar ações junto à sua clientela atual, aumentar o ticket médio é uma alternativa interessante para incrementar as vendas sem precisar conquistar mais consumidores.

1 – Crie kits de produtos ou serviços

Boa alternativa para presentear, você pode oferecer kits por tema, efeméride (Dia dos Namorados, Natal), ou mesmo oferecer pacotes de produtos ou serviços relacionados ou complementares. Inclua um desconto atraente e ainda aproveite para vender o que está já há um tempo parado no estoque.

Não sabe por onde começar? Analise pedidos anteriores ou faça uma pesquisa junto à clientela.

2 – Ofereça produtos ou serviços complementares

Outra ação simples para aumentar o ticket médio é oferecer, na hora de fechar negócio, a possibilidade de incluir um item adicional relacionado ao pedido. Um exemplo: se você vende um batom, pode oferecer um porta-batom com espelho ou um hidratante labial.

O importante é treinar sua equipe (ou colocar na página) algo de forma convidativa e sutil.

3 – Use cupons de desconto

Os cupons de descontos promocionais estão ganhando cada vez mais popularidade no país e sua empresa pode se beneficiar muito ao usá-los. Você pode oferecê-los em uma ação de e-mail marketing ou para o cliente usar na próxima compra, na loja.

Lembre-se de criar um senso de urgência (prazo curto, valor especial) e estabelecer um valor mínimo para efetivar o cupom.

4 – Ofereça cartão presente

Essa é outra modalidade interessante para aumentar o ticket médio. E ele pode ajudar de duas formas diferentes: a primeira é no próprio ato da compra para presentear (ao estabelecer valores pré-definidos) e a segunda é na hora do presenteado usar o cartão, já que muitos acabam gastando mais do que o valor dado para não perder nada do presente.

5 – Ofereça descontos por quantidade

Dependendo do seu produto ou serviço, você pode oferecer a compra em quantidade, mostrando para o cliente o quanto ele pode poupar ao comprar 10 unidades em vez de apenas 1.

Um detalhe fundamental nessas horas é lembrar, no caso de produtos perecíveis, da data de validade, principalmente para vendas online.

6 – Ofereça prêmios para quem comprar mais

Essa ação é bem adaptável e pode ser usada tanto para e-commerce quanto para estabelecimentos físicos. Crie promoções de frete grátis, ofereça brindes ou presentes para pedidos acima de um determinado valor.

Dessa forma, você cria uma espécie da caça ao tesouro e o cliente vai se sentir tentado a chegar ao valor da promoção para conquistar o prêmio.

Percebeu como através de ações simples e práticas sua empresa pode otimizar o valor do ticket médio e, com isso, melhorar o faturamento? Então, não deixe de organizar seu calendário e planejar as suas ações para fazer seu cliente comprar mais!

Gostou do artigo ou ficou com alguma dúvida? Use a área de comentários para falar conosco e para interagir com outros leitores!

Conheça 5 estratégias com cupons promocionais para vender mais

As compras na internet vêm crescendo a cada dia. Só que a concorrência também está aumentando e é preciso implantar estratégias para fazer o seu site vender mais. Quer uma dica que pode ajudá-lo? Os cupons promocionais podem ser uma saída bem interessante para ajudar nessa tarefa.

Para saber como usá-los, criamos um artigo com algumas possibilidades dessa ferramenta. Confira:

O que são cupons promocionais?

Muito populares nos Estados Unidos, os cupons promocionais são como anúncios de uma marca ou estabelecimento que oferecem descontos e/ou brindes a partir de uma compra.

Eles podem ser oferecidos abertamente (site, redes sociais) ou por envio selecionado (e-mail, mensagens privadas). O controle para o seu uso pode ser feito por meio de um código a ser digitado dentro do carrinho de compras ou de um link específico enviado ao cliente.

Quer saber como usá-los no seu negócio e vender mais? Vamos às estratégias!

1 – Recupere os carrinhos abandonados

É bastante comum lojas virtuais terem carrinhos abandonados pelos clientes. Só que você não precisa considerá-los um caso perdido, ainda é possível finalizar a venda e recuperar aquele consumidor.

Dependendo do valor da compra (ou dos seus objetivos), você pode mandar um e-mail para o cliente, avisando que os produtos do carrinho ainda estão disponíveis e que ele ganhou um cupom de frete grátis. Ou, ainda, uma oferta de desconto bem atraente para a próxima compra, se ele finalizar a atual.

O interessante aqui é deixar a oferta disponível por pouco tempo e criar um senso de urgência para ele fechar negócio.

2 – Aumente a participação no site

E-mail marketing é uma ferramenta poderosa, só que muitos e-commerces lutam para conseguir adesões para as suas listas. Os cupons promocionais podem entrar aqui como um atrativo e aumentar as inscrições na sua newsletter.

Além de um novo e-mail para a sua base, pode já conseguir fisgar um cliente na sua primeira compra.

3 – Fidelize os clientes

Como as ofertas na internet são muitas, não é difícil ter na sua base clientes que compram no seu site apenas uma vez. Aproveite os cupons promocionais para fazer com que eles continuem comprando. Você pode enviar o cupom assim que ele fechar a compra ou esperar um tempo para retomar o contato. O importante é fazer com que ele sempre volte ao seu site!

4 – Aumente o tíquete médio

Você provavelmente já viu algum anúncio do tipo: “nas compras acima de R$ X, ganhe mais R$ Y de desconto em compras e frete grátis”.

Esse tipo de cupom promocional serve para aumentar o tíquete médio das vendas no seu site. A partir dele, o cliente se sente tentado a encher o carrinho até chegar ao valor oferecido e ganhar mais poder de compra. Ele se sente como se estivesse ganhando algum tipo de vantagem ou benefício.

5 – Conquiste novos clientes

Uma boa estratégia para ganhar clientes é oferecer cupons promocionais na primeira compra. Além do ponto positivo óbvio conquistado pelo desconto, sua empresa ainda faz uma ótima ação de boas-vindas, dando um presente logo de entrada, o que ajuda bastante na hora de fidelizar o comprador.

O importante, na hora de oferecer cupons promocionais, é planejar bem para que a ação garanta bons resultados. Aproveite essas estratégias e aplique na sua loja para vender mais e melhor!

Que tal curtir a nossa página no Facebook? Lá você poderá ter acesso a outros artigos, novidades, além de tirar todas as suas dúvidas sobre soluções pré-pagas para o seu negócio!

5 dicas incríveis para otimizar o PDV no varejo

É importante que as empresas entendam que, diante de tanta oferta de produtos para o consumo, é necessário projetar e executar um Ponto de Venda (PDV) de forma estratégica. Isso porque, segundo pesquisa realizada pela Nielsen e disponibilizada no site O Negócio do Varejo, 70% das decisões de compra são feitas em frente às gôndolas. Logo, é preciso desenvolver ações para otimizar o PDV no varejo, a fim de fazer com que ele seja atrativo e instigante.

Para ajudá-lo nessa tarefa, listamos 5 dicas incríveis. Leia e saiba mais!

1 – Layout atrativo e funcional

O layout do PDV precisa ser desenvolvido de forma estratégica. Para isso, é importante categorizar os produtos e separá-los de acordo com os setores de destino; deixar espaço entre as gôndolas para que o trânsito dos clientes seja fluído; reunir elementos que possam trazer sensações de que aquele é um ambiente agradável e harmonioso, com sinalizações claras e padronizadas; posicionar os produtos à altura dos olhos e ao alcance das mãos; dentre outras ações.

2 – Marketing Sensorial

Os cinco sentidos – olfato, audição, visão, tato e paladar – devem ser utilizados nas estratégias de Marketing do PDV para aguçar o interesse dos clientes por um determinado produto e para fazer com que a experiência fique gravada de maneira “automática” na memória. Como exemplo, podemos citar o desenvolvimento de aromatizadores personalizados nas ações de Marketing Olfativo. Com eles, sempre que os clientes sentirem o cheiro característico de sua loja, logo farão a associação à marca.

3 – Cupons promocionais

Para atrair a atenção do consumidor até o seu PDV, crie promoções. Envie mensagens de texto com cupons promocionais aos telefones cadastrados ou imprima-os na nota fiscal — esta ação estimula compras futuras. Com tal estratégia, além de melhorar as vendas e de fidelizar os clientes, será possível ainda ter uma visão mais precisa quanto ao comportamento de compra do consumidor, informação esta que deve ser utilizada para estimular a eficiência de outras atividades no ponto de venda.

E para desenvolver ações mais personalizadas, conte com a tecnologia beacon, que é composta por um sensor que analisa o comportamento do consumidor dentro do varejo e direciona promoções estratégicas para o celular dele. Os resultados da campanha ficam disponíveis online para que a indústria e o varejo que se associaram possam obter informações sobre o hábito de compra, retorno da campanha, quantas pessoas foram impactadas, dentre outras informações úteis.

4 – Distribuição de amostras

Quando uma empresa se propõe a distribuir amostras de seus produtos no PDV, ela permite que cliente experimente o item antes de fazer a aquisição, o que traz mais segurança e abertura à marca. Desenvolva embalagens personalizadas, instrutivas e atrativas, contrate bons comunicadores para explicar os benefícios do item ao consumidor. Essa é uma ação que favorece o negócio, aumenta as vendas e cria uma imagem positiva da marca.

5 – Ofertas para clientes fidelizados

Não adianta criar uma oferta para chamar a atenção do consumidor e não colocá-la de maneira explícita no PDV. Ao desenvolver estratégias para a fidelização dos clientes, pense em ações que sejam de ganho imediato (como “leve dois e pague um”), de ganho em longo prazo (pontos por produtos) ou de troca (cartão presente). Seja qual for a opção escolhida, lembre-se de que a oferta precisa ser realmente tentadora. Nada de tentar enganá-los com anúncios de boas oportunidades em compras se na hora de passar as mercadorias no caixa, o consumidor não perceber nenhuma vantagem significativa por ter sido fiel à sua marca.

Ao aplicar essas 5 dicas para otimizar o PDV no varejo, o gestor desenvolverá ações que contribuirão para o aumento do Ticket Médio, para o mapeamento das chamadas “zonas quentes” da loja, isto é, para identificação dos locais onde há maior fluxo de pessoas, para a fidelização dos clientes, dentre outras vantagens. Coloque em prática o que você acabou de aprender e perceba os benefícios da dinamização do ponto de venda.

Se você gostou desse conteúdo, curta a fanpage da epay no Facebook e fique por dentro de conteúdos exclusivos!