Como ter mais previsibilidade de receita no varejo

Quem acompanha de perto as mudanças do mercado sabe que, para se destacar da concorrência, é preciso conhecimento e habilidade. Com margens de erro cada vez menores, não é possível exercer a função de gestor sem ter um mínimo de noção dos números que virão pela frente.

Para ter sucesso nessa missão, o planejamento estratégico da empresa deve ser capaz de traçar a projeção dos resultados que ainda serão apurados na prática. A previsibilidade da receita, embora não seja algo muito fácil de se conseguir, é uma meta que deve ser perseguida sem descanso.

Quer entender como esse objetivo pode ser alcançado com um bom nível de assertividade? Confira adiante algumas boas práticas de mercado que podem ser aplicáveis ao seu negócio.

Otimizar o controle de estoque

Empresas com estoques que sofrem muitas variações ao longo do período podem encontrar dificuldades maiores para conseguir estimar, com precisão, a previsibilidade da receita. Isso acontece porque uma grande flutuação dos níveis de produtos estocados indica que a gestão do negócio não consegue definir bem as quantidades e valores (máximo e mínimo) para abastecer os itens a serem revendidos.

Nesse contexto, as metodologias mais modernas buscam eliminar pontos de desperdício tanto nos ramos de produção e prestação de serviços quanto no comércio. A maior preocupação aqui é reduzir os estoques da mesma forma que a sua variabilidade.

Ajustando a variação de estoque

Trabalhando de forma mais ajustada e garantindo um mínimo de produtos disponíveis, é possível evitar a ruptura do estoque sem mobilizar o capital de giro com inventário. Técnicas lean também ajudam a administração a ter uma linha de negócios mais precisa, o que resulta, entre outras coisas, em uma maior capacidade de previsibilidade de receita.

O caminho correto então é buscar entender qual é a amplitude da variação percebida entre a saída e a entrada de mercadorias/serviços, tornando essa flutuação uma condição conhecida. Assim, a previsibilidade de vendas ganhará mais acuracidade a cada mês.

Fazer uma boa gestão de vendas

Não há como falar em boas condições de previsibilidade de receita sem abordar a necessidade de se ter uma gestão de vendas realmente eficiente. Aqui, é necessário conhecer de forma segura os valores transacionados, ter um bom controle de datas e não se esquecer de considerar problemas como devoluções, cancelamentos e inadimplência, que afetam diretamente o volume de receita apurado.

Além de se ter este panorama bem entendido e vigiado pela direção da empresa, vale a pena ressaltar que, atualmente, os conceitos de produtos e serviços andam cada vez mais similares. Separar uma coisa da outra já não faz sentido em muitos casos: o cliente que entra em uma loja ou acessa um e-commerce para adquirir um produto encontra disponíveis ali vários tipos de serviços agregados. É o que se pode chamar de conveniência.

Soluções pré-pagas

Outro aspecto que vale ser mencionado quando falamos sobre controle de vendas é a utilização de sistemas e ferramentas de pré-vendas. Cartões Presente e soluções pré-pagas, por exemplo, são ótimas formas de antecipar a receita e ainda estimular os negócios. Tudo isso refletirá na forma como a previsibilidade de receita é estipulada.

Oferecendo esses tipos de cartões, a empresa também consegue avaliar o ritmo de receita recebida. O que precisa ser feito é monitorar os valores adicionais de vendas médias nesses casos: como é o cliente final que recebe o benefício do cartão, ele pode gastar um pouco mais para evitar desperdiçar algum crédito restante.

Usar estratégias mensuráveis

Na busca pela previsibilidade da receita, é preciso adotar estratégias comerciais passíveis de mensuração. O resultado operacional de uma empresa está sujeito a uma série de fatores e variáveis que afetam a forma como o desempenho das vendas acontece. Embora alguns desses fatores sejam subjetivos e incontroláveis, ainda existem vários outros que têm um poder significativo na receita.

Ao trabalhar com estratégias de negócio, é preciso tomar cuidado para escolher aquelas que podem ser mensuradas mais facilmente e de forma objetiva. Assim, fica mais fácil perceber o impacto e que tipo de resultado foi conquistado por meio de cada uma, ainda que elas ocorram de maneira simultânea.

Muitas vezes, será necessário fazer testes constantes para descobrir o real efeito de cada estratégia no volume de vendas, mas saiba que após algumas modificações esse ajuste começará a mostrar seu verdadeiro potencial. Por isso, é fundamental considerar estratégias que podem ser mesuradas.

Inbound Marketing

Uma estratégia que merece destaque é a utilização das múltiplas técnicas de Inbound Marketing. Bastante difundida no mercado atual, trata-se de uma forma eficiente de incentivar as vendas, e seu potencial de ganho é bastante expressivo quando o assunto é previsibilidade de receita.

Como a base do Inbound é o funil de vendas (ou pipeline), gestores e empresa acabam assimilando os conceitos de leads qualificados e têm uma maior facilidade de entendimento a respeito de taxas de conversão. A partir de um trabalho consistente e bem monitorado, então, fica mais fácil perceber qual é a relação e a proporção existente entre investimentos de Inbound e a variação do volume de vendas.

Acompanhando o número de leads que entra pelo funil de vendas e tendo um percentual já apurado de conversões, a receita estimada começa a ser calculadas com um desvio menor de erro. É claro que é preciso considerar sempre o tempo médio que existe entre o começo e o final deste trabalho com o público.

Acompanhamento histórico

Mais um ponto de grande relevância e que não pode ficar de fora da nossa análise é a necessidade de contar com ferramentas para fazer o acompanhamento e a comparação histórica de resultados.

Considerando variações sazonais, mudanças de direção do mercado e o aparecimento de novas tendências, é possível traçar cenários e projeções que ajudam a empresa a identificar mudanças de comportamento dos consumidores e seus hábitos.

Acompanhando de perto a relação entre os relatórios de previsão de vendas e o faturamento que foi realizado, ao longo do tempo o gestor poderá alcançar um nível bastante preciso quanto à previsibilidade de receita.

Gostou desse post e quer ter acesso a outras dicas para melhorar a administração do seu negócio, conhecer ferramentas e metodologias em destaque no mercado e conferir novas técnicas de gestão? Basta acompanhar nossas redes sociais: estamos no Facebook e no LinkedIn!

Como alavancar as vendas no varejo com cartões pré-pagos?

Os cartões pré-pagos estão em alta entre os consumidores, tanto para realizar compras em estabelecimentos físicos como em sites nacionais e internacionais. Mas este instrumento facilitador dos negócios ainda não tem sido devidamente aproveitado pelos empresários, principalmente quando pensam em alternativas de como alavancar as vendas no varejo.

Por meio de um cartão pré-pago, o usuário pode colocar créditos em moeda nacional ou estrangeira e utilizá-lo para efetuar compras, que ficam limitadas ao valor do seu saldo. Desta forma, os compradores compulsivos e os compradores que não controlam o orçamento pessoal/familiar ficam protegidos de exceder os gastos — e no caso de compras internacionais, o custo do produto adquirido não fica sujeito a variações de câmbio.

Neste post, vamos esclarecer como os cartões pré-pagos estão movimentando o comércio e ampliando as vendas. Confira:

Supere os obstáculos às vendas

Para ter um cartão pré-pago, o interessado não tem que passar por uma análise cadastral para liberação de crédito e nem mesmo precisa comprovar renda, já que só pode utilizar o cartão se carregar previamente com o valor desejado.

Do lado da empresa, o cartão pré-pago minimiza o uso do parcelamento de compras pelos clientes com carnês, reduzindo o volume de trabalho do departamento de crédito e, consequentemente, a inadimplência. Ele impede também as perdas de vendas quando o cliente não tem comprovação de renda. Ainda agiliza a finalização da compra pelo cliente em sua passagem pelo caixa físico ou virtual e trata-se de um pagamento a vista, que reduz drasticamente o prazo de recebimento do crédito.

Aumente as vendas calibrando a sua competitividade

Atualmente, muitas empresas conhecidas estão aderindo ao cartão pré-pago como meio de pagamento de seus produtos e/ou serviços, dentre elas Netflix, Saraiva, Pão de Açúcar, Walmart e a Google Play. Não deixe a sua empresa perder espaço para a concorrência, já que esta modalidade está ganhando a preferência de muitos consumidores e abrindo o mercado para clientes que não tinham acesso ao cartão de crédito convencional.

Disponibilize o vale presente

Uma modalidade de cartão pré-pago é o vale presente, cujo interessado adquire e carrega no valor de um presente que ele pretende entregar a alguém, mas que permite ao presenteado a livre escolha do item desejado — esta modalidade de cartão pré-pago é ideal, pois gera antecipação de receita.

Conquiste novos clientes

Os cartões pré-pagos estão abrindo o mercado para as pessoas que não tinham cartão de crédito ou que o tem, mas se sentem inseguras em realizar compras online — nestas transações é possível gerar um número de cartão virtual que vale especificamente para uma compra pela internet, o que deixa o usuário e comerciante tranquilos, já que impossibilita fraudes.

No momento de estabelecer estratégias de como alavancar as vendas, considere trabalhar com cartões pré-pagos no seu estabelecimento, pois facilitam a vida dos clientes, dando maior segurança na realização da transação comercial, evitando descontrole financeiro e reduzindo custos (não têm taxa de anuidade) e sobretudo multiplicam as oportunidades de negócios.

Você já conhecia algumas dessas dicas de como alavancar as vendas no varejo com cartões pré-pago? Já adotou essa estratégia? Compartilhe com a gente a sua experiência!

Por que você precisa investir em tecnologia na gestão de vendas?

A tecnologia na gestão de vendas tem sido grande aliada do varejo ao proporcionar o aumento da produtividade. Com as ferramentas trazidas por ela, alguns processos têm sido bem mais simples, como o acompanhamento de métricas e de metas, a gestão de equipes externas e o contato periódico com o cliente.

Por isso, se você quiser sair na frente de seus concorrentes, certamente, você deverá apostar na inovação tecnológica. Mesmo o varejo sendo um mercado tradicional e bem consolidado, não há dúvida de que a tecnologia traz um diferencial realmente considerável.

Em nosso post de hoje, confira os motivos de investir em tecnologia:

Possibilita melhorias nos processos internos

O impacto da tecnologia nos processos internos é incrível. Primeiramente, você poderá controlar todas as métricas relacionadas à eficiência de seus funcionários. Com o ponto eletrônico, você faz relatórios de entrada, saída, e de intervalos com rapidez.

Você ainda poderá criar sistemas de autogestão para os funcionários, em que cada um controlará as suas próprias metas e avisará quando as tiver cumprido. Eles também poderão pedir ajuda quando estiverem com dificuldades em chats e fóruns, contribuindo para o espírito colaborativo.

Além disso, a comunicação entre as diferentes equipes fica bem mais simplificada. Por exemplo, as equipes de logística e vendas poderão manter um fórum sempre atualizado a respeito da chegada de produtos, para que os vendedores possam dar informações precisas aos clientes.

A gestão de vendas proporciona o aumento da produtividade

Muitos aplicativos oferecem um sistema que “gamefica” as vendas, ou seja, transforma o processo de bater metas de vendas em algo mais parecido com um jogo interessante do que com uma competição desgastante.

Assim, cada vez que seus vendedores baterem alguma meta, eles acumularão pontos. Cada um poderá ter um placar, que cresce à medida que ele bate metas. No final, você poderá dar uma recompensa aos vencedores do “jogo”.

Outra dica interessante é criar uma interface de apresentação de produtos inovadora. Quando o vendedor apresentar o produto para o cliente, ele terá uma experiência única. Haverá a possibilidade, por exemplo, de mostrar os produtos em ângulos de 360º, mudar as cores, de combiná-los com outros produtos, etc.

Contribui para a redução de filas

As empresas ainda não têm investido em soluções inovadoras para a gestão de filas. No entanto, esse é um fator crítico no varejo físico, pois o principal fator de desistência, depois do preço alto, é o tempo de espera em uma fila.

Quantas vezes você já desistiu de comprar algo por causa de uma fila enorme? Saiba que um sistema de vendas é a solução! Conte com equipamentos que não necessitam da leitura de código de barras, basta que o produto passe por um detector que o preço será registrado.

Outras razões que contribui para a demora e, consequentemente, para o aumento da fila, são os frequentes travamentos da máquina de cartão: o sistema cai, o pagamento não é autorizado, o cliente erra a senha ou o cartão está com defeito. O sistema pré-pago de cartões resolve rapidamente esse problema.

Com eles, o cliente pode adquirir um cartão que já vem recarregado com determinado valor e, então, basta validá-lo no caixa para que a compra seja efetivada. Evita-se, desse modo, o fator surpresa na hora de passar o cartão.

Melhora a gestão de métricas

Com uma aplicação voltada para a gestão de vendas, você poderá acompanhar facilmente as suas métricas. Elas serão atualizadas em tempo real, eliminando, assim, o erro humano. Os relatórios serão gerados automaticamente e poderão conjugar imagens, gráficos e textos para tornar a informação mais compreensível para a elaboração de novas estratégias de venda.

Por esses motivos, a tecnologia é um investimento crítico para aumentar rapidamente a produtividade e a eficiência da gestão de vendas. Os resultados citados neste post, inclusive, são imediatos e o retorno ocorre em curtíssimo prazo. Portanto, se você precisa aumentar suas vendas rapidamente, invista em tecnologia, pois o retorno é garantido!

Já aplicou a tecnologia de forma inovadora em sua empresa? Compartilhe com a gente a sua experiência no assunto!